13 de julho, segunda-feira | Agenda do dia

    0
    44

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    O avanço da Covid-19 em nove estados e no Distrito Federal com país passando das 72 mil mortes e com quase 1,9 milhão de infectados. Cidade de São Paulo reabre mais setores do comércio com restrições. Mundo registra novo recorde de infecções pelo coronavírus. Os efeitos da pandemia na migração é tema do podcast O Assunto. Os concursos com inscrições abertas que oferecem mais de 10 mil vagas. E a comemoração do Dia Mundial do Rock com uma live pesada.

    O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da epidemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h deste domingo (12).

    O país registrou 659 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 72.151 óbitos. Com isso, a média móvel de novas mortes no Brasil na última semana foi de 1.036 por dia, uma variação de 4% em relação aos óbitos registrados em 14 dias.

    Um dos óbitos foi o do ex-deputado federal Nelson Meurer, primeiro condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na Operação Lava Jato, morreu, aos 77 anos, na manhã deste domingo (12). Ele estava internado após testar positivo para Covid-19.

    Em casos confirmados foram 25.364 registrados no último dia, com o total de 1.866.176 de brasileiros infectados pelo novo coronavírus.

    No total, 9 estados mais o Distrito Federal apresentaram alta de mortes: PR, RS, SC, MG, DF, GO, MS, MT, TO e PB. Em relação a sábado (11), Roraima deixou a lista — na ocasião, eram 10 estados mais o Distrito Federal.

    Evolução dos casos de coronavírus — Foto: Guilherme Almeida/G1

    Academias de ginástica voltam a funcionar nesta segunda-feira (13) na cidade de São Paulo — Foto: Reprodução/TV Globo

    Academias, parques, agências de pesquisa e estúdios de tatuagem voltam a funcionar, com restrições, durante quarentena na cidade de São Paulo nesta segunda-feira (13), após 111 dias de interdição por causa do combate ao coronavírus.

    A quarentena começou no dia 24 de março e, em 1º de junho, o governo do estado iniciou o chamado Plano São Paulo para a retomada gradual das atividades em fases.

    No dia 3 de julho, a capital superou as fases vermelha e laranja, e alcançou a Fase 3-Amarela, que autorizou a reabertura de diversos setores, mediante um período de estabilidade e a assinatura de protocolos de segurança pelas autoridades municipais.

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) registrou neste domingo (12) um recorde de casos globais da Covid-19. Em 24 horas, foram 230.370 notificações.

    Os maiores aumentos foram registrados por Estados Unidos, Brasil, Índia e África do Sul, de acordo com o relatório diário da organização. O recorde anterior da OMS para novos casos foi de 228.102, registrado na sexta-feira (10).

    As mortes permanecem estáveis em cerca de 5 mil por dia. Os casos globais da doença, segundo a OMS, passam de 12,5 milhões neste domingo. A doença já mantou mais 560 mil pessoas em sete meses.

    Ex-ministros Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich discutem pandemia e saúde no Brasil

    Os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, a epidemiologista Maria Amélia Veras, a pneumologista Margareth Dalcolmo e o biólogo Atila Iamarino participaram neste domingo (12) de um debate na GloboNews sobre a pandemia do coronavírus.

    Questionado sobre os estágios da pandemia, Mandetta declarou que mantém as previsões que indicam diferentes fases da epidemia pelo país, com uma melhora em setembro.

    Sucessor de Mandetta, Teich voltou a abordar a falta de informações precisas para traçar as estratégias de enfrentamento à Covid-19

    A epidemiologista Maria Amélia Veras também destacou a importância do uso da inteligência para analisar os dados sobre a Covid-19 e definir as ações a serem adotadas.

    A pneumologista Margareth Dalcolmo foi questionada sobre o negaciosismo à gravidade do novo coronavírus. Sem citar a hidroxicloroquina, a especialista declarou que o Brasil ainda gasta “energia” em discussões sem “o menor sentido”, enquanto as atenções deveriam estar na tentativa de conter a epidemia em zonas mais pobres, por exemplo.

    O biólogo Atila Iamarino apontou a dificuldade para alinhar o discurso das autoridades de estados, municípios e União, bem como a falta de uma estratégia unificada das medidas de distanciamento social e de retomada das atividades econômicas. Segundo ele, o Brasil ainda discute tratamento sem eficácia comprovada.

    As crises econômica e sanitária estão levando de volta para o Nordeste milhares de brasileiros que haviam deixado a terra natal em busca de uma vida melhor no eixo Sul-Sudeste. É o caso da agricultora Maria Assunção Araújo, 40, que um ano atrás saiu de Ingazeira, no sertão de Pernambuco, rumo à favela de Paraisópolis, na capital paulista.

    Na conversa com Renata Lo Prete, Maria relata dificuldades que culminaram quando ela e o marido se viram sem trabalho, e ele, com os sintomas do novo coronavírus. De volta a Ingazeira, ela reconhece que a recessão bate também em sua cidade, mas ainda assim não tem dúvidas: “Quando cheguei, ajoelhei no pé da porta, beijei o batente e disse: quanta vida eu tiver, não volto mais pra São Paulo”.

    Participa também do episódio José Eustáquio Diniz Alves, doutor em demografia que trabalhou no IBGE por 17 anos. Ele explica o fenômeno da migração de retorno. Ouça abaixo

    Concurso público — Foto: Divulgação

    Pelo menos 90 concursos públicos no país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (13) e reúnem 10,4 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 19.199,06 no Instituto Rio Branco.

    Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso. Veja a lista completa de concursos

    Entre os principais concursos federais abertos estão:

    • Aeronáutica, que inscreve para 180 vagas;
    • Exército, com 255 vagas em três editais: um para 41 vagas, outro para 116 e outro para 98;
    • Instituto Rio Branco, com 25 vagas para diplomatas.

    A banda Raimundos se apresenta com o Planet Hemp para comemorar o Dia Mundial do Rock — Foto: Divulgação

    Esta segunda-feira (13), Dia Mundial do Rock, vai ser de estreia para Planet Hemp e Raimundos. As duas bandas se reúnem pela primeira vez para apresentarem uma live, transmitida pelo canal Festival Planeta Brasil, a partir das 20h.

    “É a nossa primeira apresentação desde que começou a pandemia, com todos juntos, tocando. Vai ser como a galera se reencontrando depois de muito tempo e levando um som. E a gente vai lá para tocar com vontade mesmo, como se tivéssemos tocando para 100 mil pessoas, como é em um festival tradicional”, conta Digão, vocalista do Raimundos.

    Para a live, que vai arrecadar doações que serão destinadas aos profissionais que atuam nos bastidores de eventos, Marcelo D2, vocalista do Planet Hemp, já adianta o que os fãs podem esperar. Sem contar um disco novo, que está a caminho.

    Exclusivo:detalhes do inquérito que investiga assassinato envolvendo Queiroz e Adriano

    Exclusivo:detalhes do inquérito que investiga assassinato envolvendo Queiroz e Adriano



    Fonte



    Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


    Lima & Santana Propaganda