Alerj vota nesta quarta (23) prosseguimento do processo de impeachment contra Witzel | Jornal Nacional

    0
    16

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro vota, nesta quarta-feira (23), o prosseguimento do processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel.

    É uma votação que nunca tinha acontecido na história da Assembleia Legislativa do Rio. Essa sessão começou às 15h e é semipresencial. Muitos deputados em plenário e alguns participando por videoconferência: 28 parlamentares de 13 partidos discursaram.

    Todos falaram a favor do prosseguimento do processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel, do PSC. Dos 70 deputados da Assembleia, 69 registraram presença. O único que não compareceu está internado com Covid.

    Neste momento, o governador apresenta sua defesa. Ele dispensou a advogada e ele mesmo está apresentando os argumentos. Witzel era esperado no plenário da Assembleia, mas, durante a tarde, decidiu se defender por videoconferência. Ele já está falando há 36 minutos e tem até 60 para apresentar a defesa.

    Witzel negou as acusações e disse que tem uma carreira limpa em todas as instituições por onde passou.

    Esse processo de impeachment foi aberto há três meses e, nesse meio tempo, Witzel foi afastado do cargo por determinação da Justiça.

    O processo de impeachment foi aberto em junho. O pedido, apresentado por dois deputados, alega que Wilson Witzel cometeu crime de responsabilidade por irregularidades em contratações na área da saúde.

    Em julho, o ministro Dias Toffoli, então presidente do Supremo Tribunal Federal, concedeu decisão a favor do governador, que alegou vícios na composição da comissão de impeachment. O processo parou.

    No fim de agosto, o Superior Tribunal de Justiça afastou Witzel do cargo por 180 dias, afirmando que um grupo criminoso estava agindo no governo do estado mesmo durante a pandemia. No mesmo dia, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, decidiu que não havia problemas na comissão de impeachment e o processo voltou a correr.

    Na semana passada, por unanimidade, a comissão aprovou relatório que defende a cassação de Wilson Witzel.

    É esse relatório que será votado logo mais pelo plenário. Para ser aprovado, são necessários 47 votos, ou seja, dois terços do total de deputados da Assembleia. Se isso acontecer, um tribunal misto será formado com cinco deputados eleitos entre eles e cinco desembargadores sorteados. A presidência caberá ao presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Cláudio de Mello Tavares, e vai ser esse tribunal misto que vai julgar se Wilson Witzel perde ou não o mandato. Isso tudo dependendo da votação da noite desta quarta.



    Fonte



    Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


    Lima & Santana Propaganda