Após ver entrevista de Tati Minerato, mulher acusa mesmo médico de erro

0
16

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

O médico Felipe Tozaki ficou conhecido nos últimos dias após o caso da modelo Tati Minerato ter sido mostrado na coluna. Segundo a famosa, o profissional teria sido o responsável por danos pós-cirúrgicos ocorridos após operações realizadas por ele.

Em entrevista à Coluna Leo Dias nessa segunda-feira (31/8), Tati explicou que teve problemas na cicatrização das mamas após a troca de suas próteses de silicone, além de uma infecção no corpo. Com a repercussão do caso, outra paciente veio até nós fazendo acusações contra Tozaki.

“Quando assisti a entrevista com a Tati, parece que vi um filme da minha vida. Esse médico precisa parar, precisa ser cassado e não estragar a vida de mais ninguém”, disse Giza Lempos. Ela contou que sua história começou em 29 de abril de 2017, quando realizou uma mastopexia — cirurgia para remodelar e levantar seios flácidos —, além de uma lipoaspiração no abdômen, gastando R$ 12 mil.

Veja imagens dos seios de Geiza após o procedimento

“Logo quando cheguei em casa, sentia muitas dores, não respirava direito, passei muito mal. Voltando ao médico depois de 20 dias, meus seios estavam abertos, saia muito sangue e secreção”, relatou. Apesar das queixas, segundo ela, o cirurgião a informou que aquilo era normal, orientando-a a tomar mais medicação e que fizesse o uso curativos e pomadas.

Veja a entrevista de Tati Minerato

“Eu sempre sentido muitas dores com meu peito aberto, orando para passar logo aquilo”, lembrou ela. Lemos retornou ao médico, ainda com os seios abertos e infeccionados, e, na ocasião, ela afirma que Felipe resolveu dar novos pontos no próprio consultório.

“Sempre falando que era tudo normal. Fiquei com meu peito aberto mais de 6 meses”, garante. Além de problemas com a mastopexia, Giza também teve complicações com a lipoaspiração feita em seu abdômen. “Minha barriga ficou completamente cheia de buracos”. A paciente disse ainda que Felipe a ofereceu uma nova cirurgia, caso ela quisesse.

“Claro que eu não quis pois não tenho confiança em uma pessoa que quase me matou, acabou com a minha autoestima. Hoje não uso mais biquínis nem mostro meus peitos para meu marido, uso sempre sutiã”, contou. O processo que ainda corre em juízo. No entanto, Giza ainda não teve sucesso na resolução do caso.

Outro lado

A coluna do Léo Dias procurou Felipe Tozaki para esclarecimento do caso apontado por Giza Lemos. “O laudo pericial concluiu que não há nexo de causalidade entre minha conduta e os danos alegados pela paciente.E as demais questões são protegidas por sigilo profissional de acordo com o código de ética médica”, afirmou Felipe.

À pedido do doutor, a coluna também procurou seu advogado para falar acerca do tema questionado. Segue, na íntegra, a resposta de Leandro Saboia:

“Não sou advogado do Dr. Felipe Tozaki nessa causa, mas sei que na ação proposta pela Giza Lemos o perito concluiu que não há nexo causal entre a conduta do médico e os danos alegados pela paciente. Em resumo, o laudo pericial aponta que não há responsabilidade do Dr. Felipe no caso. Outras informações não tenho como lhe passar, seja porque não atuo na causa, seja pelo sigilo imposto pelo código de ética médica.”

A Associação Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) também foi procurada pela coluna, já que Tozaki é associado à organização, mas não respondeu até a publicação da matéria.



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda