Black Friday. Está aberta a temporada do ‘eu mereço’. | Guia Black Friday

    0
    51

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    Hoje está claro que as decisões de compra estão relacionadas à questão emocional. Após um ano inteiro de trabalho e sacrifícios, é natural as pessoas irem às compras como uma válvula de escape contra frustrações e estresses. Neste contexto, criamos um leque de justificativas para validar este ato. Frases como ‘eu mereço’, ‘eu trabalho tanto’ ou ‘vou me fazer um agrado’ são usadas pelo subconsciente para tirar qualquer tipo de culpa e legitimar compras maiores do que as usuais.

    Com a grana curta, o brasileiro racionaliza as compras, porém, há momentos em que ele decide se autopresentear. São as chamadas ‘pequenas felicidades’, a sensação do ‘eu mereço’ que pode aumentar as vendas por impulso.

    Black Friday. Está aberta a temporada do 'eu mereço'. — Foto: Divulgação

    Black Friday. Está aberta a temporada do ‘eu mereço’. — Foto: Divulgação

    Consumo com características próprias

    Na Black, observamos um consumo com características próprias, mais individualistas e descoladas dos outros eventos do ano. A finalidade maior nesta data é aproveitar os grandes descontos para comprar itens para si e para a casa, ou seja, produtos de mais alto valor agregado, como uma geladeira, um ar-condicionado, uma TV 4K, um notebook ou um smartphone de última geração. É a onipresença do ‘eu mereço’. Não por acaso, o produto estrela da Black é o smartphone, símbolo máximo do uso individual.

    É o que especialistas chamam de compras por indulgência. Some-se a isso a sensação gerada pela Black Friday, de que ‘vale a pena por estar em promoção’ e temos um cenário de oportunidades para o consumidor exercer seu desejo de consumo por tanto tempo reprimido.

    Mais do que comprar, o ser humano quer ter a percepção de que aquela compra foi bem-sucedida. Quando vemos uma mensagem promocional da Black Friday, de que algo será vendido por 50% ou até 80% de desconto, nosso cérebro imediatamente processa que aquela negociação é satisfatória e que sairemos ganhando porque vamos economizar.

    São conceitos que encontram respaldo nas pesquisas. No ano passado, um levantamento do site blackfriday.com.br apontou que, num universo de 1.137 pessoas, nada menos que 97% pretendia aproveitar a temporada de descontos para se presentear. Deste percentual, 47% iria desembolsar mais de R$ 1 mil (produtos de maior valor). Outros 23% seriam mais econômicos, investindo cerca de R$ 500. Do universo pesquisado, só 20% iria aproveitar a Black para presentear alguém – e a faixa de gastos deste grupo cai para menos de R$ 200.

    O resultado de tudo isso é um ticket médio 30% acima de um dia normal, principalmente pela compra de produtos mais caros, como smartphones, TVs 4K e eletroeletrônicos, os campeões de vendas da Black Friday. Se todo mundo aproveita, você também pode se dar esse direito. Escolha com critério onde fazer suas compras e priorize lojas físicas para comprar com segurança. O Fujioka, por exemplo, é a maior rede varejista de tecnologia do Centro-Oeste e vem com ofertas diferenciadas nesta Black Friday. Oportunidade única para você se dar o que deseja. Você merece.



    Fonte



    Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


    Lima & Santana Propaganda