Câncer também pode atingir os pets. Saiba como prevenir a doença | Especial Publicitário Farmácia Vida Animal

0
118

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Para quem tem um bichinho em casa, é bom ficar de olho nos cuidados básicos com a saúde dele. Afinal, algumas doenças que preocupam os humanos também atingem os pets. Alimentação saudável e equilibrada, exercícios físicos e visitas regulares ao médico veterinário são fatores indispensáveis para reduzir a incidência de enfermidades, como o câncer nos animais. Especialistas indicam que vale considerar os exames de rotina, pois ajudam a identificar se os bichos possuem alterações nos órgãos internos e na pele.

Com a finalidade de conscientizar o público sobre o câncer em animais, a 4ª edição do Outubro Pet Rosa envolverá os visitantes em vasta programação, no dia 05/10 (sábado), a partir das 17h, no estacionamento externo do Boulevard Shopping, em Vila Velha. Em parceria com a farmácia veterinária de manipulação Vida Animal, o evento terá várias atrações para toda a família. São elas: feira pet, palestras, feira de adoção, desfile pet, pula-pula para os pets, espaço kids, entre outros. Mais de 60 expositores marcarão presença.

Evento de conscientização também terá feira de adoção — Foto: Divulgação

Evento de conscientização também terá feira de adoção — Foto: Divulgação

“O evento leva informação sobre a necessidade de atenção quando o assunto é o câncer nos animais. É importante que as pessoas saibam que o conhecimento aumenta a possibilidade de a doença ser combatida no início, elevando os índices de sucesso no tratamento, garantindo vida prolongada e saudável aos bichos. Com essa preocupação, o 4º Outubro Pet Rosa contará com a presença do público e de várias empresas do segmento, assim como nas edições anteriores”, conta Josiany Chiabai Bassini, farmacêutica bioquímica e proprietária da farmácia Vida Animal.

Para participar do evento, basta levar 3Kg de ração em um dos pontos de troca situados na Grande Vitória. Os doadores ganham uma camiseta temática. As rações arrecadadas serão doadas para instituições que trabalham em prol da causa animal.

A 4ª edição do Outubro Pet Rosa terá feira pet, palestras, desfile pet, pula-pula para os pets, espaço kids, entre outros  — Foto: DivulgaçãoA 4ª edição do Outubro Pet Rosa terá feira pet, palestras, desfile pet, pula-pula para os pets, espaço kids, entre outros  — Foto: Divulgação

A 4ª edição do Outubro Pet Rosa terá feira pet, palestras, desfile pet, pula-pula para os pets, espaço kids, entre outros — Foto: Divulgação

Para aumentar as chances de cura do câncer nos bichinhos, é fundamental descobrir a doença no início, indica a médica veterinária Jyzana Arantes. “Se os tumores são vistos no início, conseguimos obter melhores resultados nas cirurgias, com uma margem de segurança melhor. Dá para tirar um tecido maior ao redor da lesão tumoral e isso diminui as chances de metástase e, também, se não for um caso cirúrgico, entramos logo com a quimioterapia. Assim, as chances de cura do animal são maiores. Quanto menor o tumor, descoberto o quanto antes, menor é a chance de metástase e maior é a chance de cura”, explica.

Há atrações para todas as idades, para participar basta levar 3Kg de ração em um dos pontos de troca situados na Grande Vitória — Foto: DivulgaçãoHá atrações para todas as idades, para participar basta levar 3Kg de ração em um dos pontos de troca situados na Grande Vitória — Foto: Divulgação

Há atrações para todas as idades, para participar basta levar 3Kg de ração em um dos pontos de troca situados na Grande Vitória — Foto: Divulgação

Tira-dúvidas com a médica veterinária Jyzana Arantes:

1- Anticoncepcionais, obesidade e alimentação inadequada podem influenciar para o desenvolvimento de neoplasias (tumores)?

O uso de anticoncepcionais em cadelas e gatas predispõe o aparecimento de câncer, principalmente, no trato geniturinário, no útero, ovários e vagina. O uso de anticoncepcional está intimamente ligado ao aparecimento de câncer nas fêmeas. Por isso, é totalmente contraindicado. Só gera malefícios. As chances de uma cadela ou uma gata que fez o uso de anticoncepcional apresentar algum tumor, a partir de quatro ou cinco anos de idade, são muito grandes, com elevação de 60% e 70%. E, geralmente, quando uma cadela ou uma gata apresenta tumor de mama e nunca fez uso de anticoncepcional, o tumor vai aparecer somente depois de oito e nove anos de idade.

A obesidade e a alimentação inadequada também estão relacionadas ao aparecimento do câncer. Na medicina veterinária, a obesidade predispõe o câncer, além de várias outras doenças e alterações no organismo do animal. A alimentação inadequada é marcada pelo uso de poucos vegetais e de alimentos muito processados, com corantes, como petiscos industrializados para cachorros. Se o animal já teve câncer, é ideal que seja acompanhado por nutrólogo veterinário. O profissional indicará a dieta ideal para cada caso, prevenindo a reincidência de câncer.

2- Os diagnósticos realizados tardiamente reduzem as chances de os tratamentos darem certo?

O diagnóstico tardio é sempre mais maléfico do que um diagnóstico precoce. No câncer, não é diferente. Às vezes, recebemos animais com tumores muito grandes, pois o tutor demorou muito para procurar ajuda. E os pacientes chegam muitas vezes com metástase em outros órgãos. Já recebemos pacientes ulcerados abertos, em situações que os proprietários só procuraram o tratamento porque o mau cheiro começou a incomodá-los. Infelizmente, a gente não consegue fazer uma cirurgia nesses casos com uma margem de segurança muito boa.

Em alguns casos, não é possível tirar todas as células tumorais ao redor daquele tumor e a chance de voltar o câncer é muito grande, mesmo com a quimioterapia e com as cirurgias. Esses pacientes diagnosticados tardiamente têm expectativa de vida bem menor quando comparamos aos diagnósticos precoces de câncer. Às vezes, a gente não consegue nem entrar com a quimioterapia, porque o câncer está em estágio tão avançado, que não trará nenhum benefício ao animal e só a cirurgia pode ajudar.

3- A castração reduz a probabilidade de aparecer tumores nos pets?

Sem dúvida nenhuma. Quando falamos de evitar o câncer, principalmente nas fêmeas, mas também nos machos, a castração é a melhor opção. Sabemos que a castração feita antes do primeiro cio, reduz em aproximadamente em 98% e 99% as chances de a cadela ou a gata apresentar cânceres de mama, ovário, útero e vagina.

Na castração dos machos, há a retirada dos testículos, reduzindo em 100% a chance de neoplasia neles, mas também em outros órgãos por conta da retirada da produção hormonal. A gente sabe que alguns tumores são hormônios dependentes. Quando retiramos os órgãos reprodutores, praticamente zera a produção de alguns hormônios, que influenciam no surgimento desse câncer e na manutenção desses tumores. Hoje, a castração é a melhor opção quando a gente fala em prevenção de câncer.

No entanto, em outra linha de estudo, a castração feita antes do primeiro cio também tem o lado maléfico, ao atrapalhar um pouco o desenvolvimento das fêmeas e dos machos. É uma informação relativamente nova, mas hoje se preconiza a castração das fêmeas e os machos depois do sétimo ou do oitavo mês de idade, após o primeiro cio. A espera do primeiro cio para a castração pode desencadear outros benefícios para a saúde do pet, principalmente com alterações de crescimento ósseo e desenvolvimento dos órgãos

4- Em relação ao câncer, a atenção deve ser redobrada em animais idosos?

Os animais idosos, a partir de sete e oito anos de idade, têm probabilidade maior de apresentar algum tumor. É muito importante que, a partir dessa faixa etária, esse paciente visite o médico veterinário ao menos uma vez ao ano, para que o profissional estabeleça um protocolo de prevenção para o animal. Ele entrará em um programa de geriatria, de prevenção às doenças do idoso.

Com isso, já fazemos a prevenção do câncer, por meio de ultrassom, raio-x, exames clínicos e balanceamento da alimentação. Com esses cuidados, as chances de ele não apresentar nenhum tumor aumentam bastante. A expectativa de vida aumenta. De maneira geral, os animais idosos têm probabilidade maior de apresentar tumores do que os animais novos, porque as células começam a entrar em degeneração e podem sofrer mutação.

5- É necessário apalpar as cadeias mamárias para verificar possíveis alterações? Como saber que é algo mais grave?

O exame de apalpação nas cadelas e nas gatas é muito importante. A gente sempre preconiza que o tutor faça esse exame uma vez por semana ou duas vezes por mês. É ideal que não faça somente nos mamilos, mas ao redor deles e em toda a cadeia mamária, assim como na vulva e ao redor dela. Assim, se tiverem tumores, podem ser descobertos o mais rápido possível. A sobrevida da paciente aumenta bastante. É importante que o tutor conheça o corpo do cão e do gato. Se o dono não faz isso, nós, profissionais, não conseguimos descobrir precocemente esses tumores. Se ao apalpar um tumorzinho, o dono percebeu um crescimento estranho rápido, ele deve procurar imediatamente o médico veterinário.



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda