Conheça a dieta flexitariana – Sabor à Vida Gastronomia

0
91

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
Banner Guia Gastronômico
Banner Espaçamento

Quando o assunto é alimentação, a variedade de dietas que prometem perda de peso sempre ganhou atenção do público. Mas, diferente dos últimos anos, 2020 chegou com tendências que promovem uma mudança de hábito alimentar e são mais saudáveis. É o caso do flexitarianismo, que significa reduzir o consumo de carne e ter refeições mais equilibradas.

“O termo surgiu da junção das palavras ‘vegetarianismo‘ com ‘flexível’ para designar essa tendência de alimentação que veio para ficar”, explica Jessica Santos, nutricionista da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis.

A especialista esclarece abaixo as principais dúvidas sobre a dieta flexitariana:

Banner Espaçamento

Principais dúvidas


Como surgiu?

O flexitarianismo surgiu para quem quer reduzir o consumo de carne, mas não consegue abrir mão de comê-la em alguns momentos, geralmente em comemorações sociais. “Os principais motivos que levam as pessoas a mudarem são: bem-estar animal, saúde e preservação do meio ambiente”, argumenta.


Tem como substituir a carne animal nas refeições?

Sim. A proteína animal pode ser substituída por leguminosas ricas em proteínas como grão-de-bico, ervilha, soja e outras. Para quem não abre mão do sabor característico da carne animal também existem proteínas vegetais com gosto, aroma, cor e textura idênticos ao frango, à carne bovina e ao peixe, que são à base de vegetais e mais benéficos do que a proteína animal.


Quantas vezes posso comer carne na semana?

“Como a dieta flexitariana não é um regime alimentar que visa somente a perda de peso como a low carb e outras, não existe uma regra ou cardápio definido de quantas vezes ou em quais dias da semana se deve tirar a carne do cardápio. Cada um pode ir se adaptando de acordo com a própria rotina” pontua.

Para quem está começando a especialista recomenda seguir a Segunda Sem Carne, campanha da Sociedade Vegetariana Brasileira e amplamente adotada por restaurantes e empresas, sendo mais fácil de encontrar refeições sem carne fora de casa.


Existe restrição?

Não, qualquer pessoa pode tornar-se flexitariana uma vez que o hábito alimentar promove uma alimentação equilibrada que traga benefícios para a saúde. “De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) o consumo de carne vermelha pode desenvolver câncer de intestino, além de favorecer doenças cardiovasculares. Logo, reduzir o consumo de carne também significa ser mais saudável”, conclui.


Sobre a Superbom

Superbom é uma empresa alimentícia, que trabalha com uma linha de produtos saudáveis, que abrange sucos, geleias, salsichas, proteínas, pratos prontos, entre outros. Fundada em 1925, a Superbom comercializa os seus produtos em mais de 25 mil pontos de vendas em todo País. Em função disso, é considerada uma das principais empresas do ramo de alimentos para veganos e vegetarianos do Brasil. A empresa iniciou as suas atividades com a produção de suco de uva, no interior de uma antiga casa pertencente ao Colégio Adventista Brasileiro (CAB), que posteriormente ficou conhecido como Instituto Adventista de Ensino e, hoje, abriga o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp-SP). Durante toda a sua história, a empresa atua diretamente ligada à Igreja Adventista do Sétimo Dia. Atualmente, a companhia conta com 250 colaboradores, entre a sede e as duas plantas da indústria (localizadas em São Paulo, capital, e em Lebon Régis, Santa Catarina).

Site / Facebook / Instagram / Twitter

 

Foto Destaque: Banco de imagens

Banner KingHost





Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda