Coronavrus: ‘No podemos nos aquietar em nossas casas sem nenhuma atitude’

0
57

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
(foto: AFP / STR)

Estamos vivendo um momento mpar em nossas vidas e acredito que nenhum de ns poderia imaginar viver uma situao semelhante. Uma pandemia, originada, provavelmente, em um mercado na China, que paralisou o mundo e uniu a humanidade.

Hoje nos encontramos em prol do mesmo objetivo: sobreviver a este vrus, aparentemente frgil, mas em funo de seu desconhecimento, to aterrorizador.

 

A cada dia, conhecemos um pouco mais sobre o Covid-19. Em alguns momentos, acreditamos que o respeito e o medo a ele devem nos manter mais assustados. Em outros, achamos que devemos nos cuidar, respeitando a doena, mas que no devemos manter o pnico e podemos retornar nossas vidas normais de forma bem orientada. A segunda opo pensada, justamente, para evitar expor a populao a piores riscos,  relacionados falta de empregos, ao desabastecimento, ao empobrecimento das naes, o que poder afetar ainda mais a sade e a segurana do povo.

 

Um estudo recente, publicado em novembro de 2019, mostra que 1% de desemprego representa um aumento de 0,5% de mortalidade por 100 mil habitantes. Dessa forma, podemos imaginar o quanto uma crise econmica poder representar a mais na mortalidade, especificamente, em nosso Pas, que j vem sofrendo uma recesso econmica h tantos anos.

 

Na Cirurgia Plstica, por orientao recente de rgos pblicos Estaduais, Municipais e Federais, os profissionais tiveram que suspender todas as atividades relacionadas a procedimentos eletivos, para a proteo dos pacientes e das equipes mdicas.  A medida visa reduzir a transmissibilidade da doena mas baseada nas evidncias que tnhamos at este momento a seu respeito.

 

O que temos de fato hoje aquilo em que sempre nos embasamos na Medicina: cada ser, com suas caractersticas individuais, relacionado tambm ao meio (cidade, estado, nao) em que vive, ter uma resposta diferente s intempries e agresses do corpo. E sempre o bom senso, a anlise individual, o equilbrio na anlise de toda a situao luz da cincia que norteia cada procedimento mdico, dever ser levada em considerao. E agora, mais que nunca, precisaremos disso.

 

Deveremos ter equilbrio e tranquilidade no retorno gradativo de nossas atividades e aos procedimentos eletivos. Aos mdicos, tambem significa uma volta aos cuidados com os nossos pacientes, que precisam do nosso atendimento, sempre prezando pelo bem estar fsico, social e emocional .

 

No podemos nos aquietar em nossas casas sem nenhuma atitude e esperar o tempo resolver tudo. Pelo contrrio, devemos nos inquietar e, contra o tempo, tentar resolver tudo da forma mais rpida possvel. Importante reforar que isso deve ser feito sem transgredir os limites da responsabilidade, da segurana e das evidncias que j conhecemos at o momento que nortearo nossas condutas.

 

Acredito e toro para que, ao analisarmos as estatsticas da mortalidade no Brasil nos meses de maro, abril e maio, o nmero de mortes evitadas por este aprendizado (reduo de morte de idosos por outras gripes e doenas infectocontagiosas tradicionais em nosso meio; reduo de morte por acidentes automobilisticos e agresses (assassinatos), relacionados ao confinamento; reduo do consumo de bebidas alcolicas nas noitadas e em nossas estradas; e tantas outras mortes evitadas pela simples educao do povo sejam bem maiores que o nmero de mortes causadas especificamente pelo Covid-19. 



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda