Daniel Del Sarto sobre paternidade: “Sempre quis ter uma filha” – Quem

0
9

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Daniel Del Sarto e Hazel esperam Alice (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Daniel Del Sarto se prepara para um projeto que ele tem há anos a vontade de realizar: o de ser pai. O ator e cantor, de 45 anos, posou para as lentes de Pino Gomes ao lado de sua mulher, a cirurgiã plástica Hazel Fischdick, que está grávida de quase seis meses de Alice. Em entrevista para Quem, Daniel contou que desde que soube que queria ser pai já tinha certeza que um dia teria uma menina.

“Desde que soube que queria ser pai, sabia que seria pai de uma menina. Sempre quis ter uma filha. Há dois anos, durante uma viagem para a Flórida, decidimos que nossa filha se chamaria Alice”, conta sobre o nome, uma homenagem ao sogro e ao cunhado que trabalham como pilotos de avião agrícola. “Alice em inglês tem o som parecido com o de hélice. Acaba sendo uma homenagem aos dois. Além disso, tem a Alice no País das Maravilhas, que traz esse lado mágico.”

Dividir a gravidez com familiares foi algo esperado pelo casal, que sofreu dois abortos anteriormente. Daniel afirma que sempre teve fé que a mulher engravidaria novamente sem a necessidade de tratamentos.

“Tivemos duas gestações que não evoluíram. É muito difícil. A Hazel vai fazer 40 anos e se preocupava com a questão do tempo. Pensou até pensou em fazer tratamento para engravidar. Mas eu me mantive tranquilo e confiante. O universo sabe o que faz e sabia que se as duas gestações não tinham evoluído era para proteger aqueles serezinhos. A gestação de agora, apesar de estar super saudável, é tratada como de risco pela idade. Esperamos três meses para contar para os nossos familiares e amigos”, explica.

Daniel Del Sarto e família (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Daniel Del Sarto com Hazel Fischdick e Alice (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Em paralelo a gestação do primeiro filho, Daniel lança agora seu terceiro álbum como cantor, Carioca Latino. O trabalho foi finalizado durante a quarentena, período em que o artista teve um processo criativo ainda maior ao se libertar das pressões por estar fazendo sucesso.  

“Essa quarentena tem sido muito produtiva. O dia a dia de um artista é trabalhar muito para poder trabalhar e a gente sempre se cobra por estar produzindo, estar fazendo sucesso, com agenda cheia… Eu tinha um longa para fazer e uma viagem para Miami para levar meu show de música eletrônica, mas tudo foi adiado. Escrever me trouxe um equilíbrio. Estava há muito tempo sem escrever. Estava pensando em fazer esse disco há mais de dois anos e meio, mas com os outros projetos rolando, não conseguia finalizar o projeto”, diz ele, que por anos integrou o elenco do humorístico A Turma do Didi.

Daniel Del Sarto e família (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Daniel Del Sarto e família (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Daniel relembra que já lidou com a depressão e que já teve dificuldade em lidar com os altos e baixos da profissão artística. Uma das crises foi antes de entrar para o seriado Sandy & Junior.

“Eu adoraria ter um plano B. Gosto de fazer muita coisa dentro do trabalho que eu faço, como captação de imagem, produção musical, direção… Mas sou ator e músico na maior parte de tempo. Não ter um plano B às vezes me aflige um pouco. Teve uma época que fiquei muito triste mesmo. Estava desempregado, sem dinheiro para pagar o IPVA do meu carro e para comprar qualquer coisa. Meu computador dando problema… Comecei a ficar muito deprimido. Estava um dia na varanda, me sentindo uma merda, pensando que nada dava certo, que não ia conseguir nada… Pensei que seria melhor estar morto. Conversando com a minha mãe, que é psicóloga, comecei a escrever e aquilo em ajudou. Logo depois fui chamado para Sandy e Junior. Volta e meio fico angustiado. Fiz análise por vinte anos e voltei para a terapia no começo da quarentena para lidar com os altos e baixos da carreira.”

Daniel Del Sarto e família (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Daniel Del Sarto (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Uma das apostas para o novo álbum é a canção Ritmo, que fala justamente sobre apreciar os momentos da vida ao seu ritmo, focando no meu lado dela.

“É como o ritmo que tem a vida e sobre colocar sua atenção para o lugar certo. Estamos em uma época em que nos obrigamos a não ser vulneráveis e apresentar números… Não importa se você é talentoso, mas quando seguidores você tem. Enquanto o foco deve ser em atuar bem e cantar bem. Também temos que ter no foco a construção do meio ambiente em que vivemos para estarmos com quem amamos, como nossos amigos e familiares. Tenho focado nisso”, explica ele, que também lançou na quarentena a parceria com Roberta Miranda, Te abraço com a Música.

Sempre quis ser pai?
Teve um tempo que não porque achava que não seria um bom pai. Até o Paulinho Moska me falar sobre a paternidade. Aquilo mudou o modo que eu via a paternidade. Sempre fui um cara de relacionamentos longos, não gosto de pegação. E nos últimos três relacionamentos, já brincava sobre ser pai de menina. Investi nessas relações, mas me dei conta que não poderia conviver com algumas coisas ali, como a falta de sinceridade e a mentira. Então controlei a ansiedade, mas sabendo que a mulher da minha vida estava para chegar. Logo que a conheci, soube que a gente ia forma uma família e que eu seria pai de uma menina. 

Como é para um artista ter um casamento de sucesso com um médica?
Não existe relacionamento perfeito. Temos várias desavenças, mas nos respeitamos e nos comprometemos a estar juntos. Você tem que se doar de fato para a relação se quer ter um casamento legal. As pessoas imaginam que tudo é perfeito. Já fizemos terapia de casal para atravessarmos um momento em que quase nos separamos. Foi uma crise no segundo ano de casamento. No começo, estávamos nos ferrando muito, reclamando de tudo e dando atenção para coisas bobas. Estávamos acostumados a viver sozinhos e ter a nossa independência. Quase nos perdemos, mas a terapia ajudou a botarmos o foco no lugar certo.

Daniel Del Sarto e família (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Daniel Del Sarto e Hazel Fischdick estão ‘grávidos’ de Alice (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Como vocês se conheceram por sinal?
Fui dar canja no show de um amigo em um bar do Leblon. Foi em 2015 e tinha acabado a novela Pecado Mortal. Tinha comido alguma coisa e fui lavar as mãos no banheiro, que tinha a mesma pia para o banheiro masculino e feminino. Vi uma mulher linda passar por mim e fiquei lavando as mãos, esperando ela sair do banheiro. Quando ela foi lavar as mãos e olhou para mim com aqueles olhos azuis, vi a sua alma e o nosso futuro. Pensei: ‘Vou me casar com essa mulher!’. Puxei assunto, perguntei se ela era solteira, porque tinha pavor de me relacionar com mulher comprometida, e depois a profissão. Não queria mais alguém do meio artístico. Queria alguém com uma experiência diferente de vida. Trocamos telefone e a chamei para sair, mas ela deu uma desculpa e não rolou. Pensei: ‘Deixa pra lá. Vai ver que me enganei, que não era para ser’. Passou um tempo e resolvi mandar uma mensagem para ela novamente, a convidando para um filme e deixando claro que era sem segundas intenções. Ela topou e ficamos conversando até altas horas da manhã. Depois a chamei a para a festa de aniversário de um diretor e por último, fomos a um ritual lindo de ayahuasca. Rolou uma conexão muito grande. A partir daí a gente começou o namoro.

Daniel Del Sarto e família (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Hazel Fischdick (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

A gravidez é um momento de elo muito grande entre mãe e filho. Como você faz para criar esse elo como pai?
É realmente um momento pleno para a mulher, que fica com uma luz ainda maior. Até vou lançar uma música, a Mãe, que fala sobre isso, neste álbum. A Hazel me inclui muito nesta evolução do bebê. Quando ela está no escritório, me manda vídeo da barriga se mexendo. Também criamos o hábito de meditar todas as noites. Depois aproveitamos para ver algum filme, namorar e curtir a barriga. Tenho um personagem, o Danizinho, que é uma criança inteligente para caramba, no estilo da Mafalda (do cartunista argentino Quino). O Danizinho fica cantando para a Alice e falando coisas engraçadas. Esses dias, eu perguntava que ela estava me ouvindo e ela me respondia vindo para perto da minha mão. Estou curtindo muito esse momento.

O que espera passar para a sua filha?
A gente é meramente um condutor amoroso de um ser que vai ser único, com suas escolhas. Meu único desejo, de verdade, é que ela possa ter tudo para fazer o que veio fazer aqui terra. Quero ajudar a Alice a descobrir isso sem colocar qualquer frustrações e pressões pessoais.

Você está lançando um novo álbum. O que traz neste trabalho?
É um disco que fala do carioca latino, como eu. Esse cara que nasceu em São Paulo, veio para Rio com cinco anos de idade e que sempre amou cantar em portunhol. Trago neste trabalho ritmos brasileiros como o axé e o forró com sons que fui apresentado em minhas viagens pelo mundo como os tambores africanos de Cuba, o reggaeton tão presente em Miami que eu amo e a cúmbia colombiana… Tem a pegada do trabalho que a Anitta tem feito de misturar ritmos brasileiros com os latinos. Mas também tenho baladas. Canto em português, inglês e espanhol. 

Quais os projetos pós pandemia? 
Tinha dois filmes que estava planejando fazer esse ano… O Dublê de Namorado, a gente ia filmar em abril, mas ficou para o começo do ano que vem por conta da pandemia. As gravações serão em universidade… Agora em outubro, começo um filme com a Mutantes Produções chamado Lonely People. Tudo acontece em uma noite, quando amigos vão comprar drogas e acabam sendo presos pela polícia, vivendo uma noite bem louca ao lado de policiais e traficantes. Estou bem animado para voltar a atuar.

Daniel Del Sarto e família (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Daniel Del Sarto e Hazel Fischdick com Alice (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Daniel Del Sarto e família (Foto: Pino Gomes/Divulgação )

Hazel e Alice (Foto: Pino Gomes/Divulgação )



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda