Entenda quais podem ser os riscos das cirurgias plásticas

0
35

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Muitos brasileiros têm vontade de fazer algum procedimento estético. Não é à toa que o Brasil figura em segundo lugar no ranking de países com maior número de realizações de cirurgias plásticas no mundo, na frente de países como o Japão e o México, e perdendo apenas dos Estados Unidos. Mas o desejo e a pressão social pelo corpo perfeito muitas vezes podem levar as pessoas a se submeter a operações sem pensar nos perigos que elas podem causar. É preciso tomar cuidado: os riscos da plástica não devem ser subestimados.

Em primeiro lugar, a escolha do médico que realizará a cirurgia deve ser feita após muita pesquisa. Existem muitas clínicas de fachada, e médicos falsos, que não oferecem a estrutura necessária para um procedimento que muitas vezes é invasivo e arriscado. Quem não se lembra do caso que ficou famoso no ano passado, que envolveu o médico conhecido como dr. Bumbum? Em Cuiabá, também em 2018, uma mulher de 33 anos morreu após passar por duas cirurgias plásticas. O caso foi investigado pela polícia do Mato Grosso.

Por isso, o recomendado é sempre consultar um profissional habilitado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Somente um médico experiente poderá analisar os potenciais riscos durante e depois da operação, fazer todos os exames necessários e, principalmente, pesar os prós e contras do procedimento.

Os riscos da cirurgia plástica, no entanto, não se restringem apenas à falta de competência da equipe médica. As chances de complicações crescem quando a operação é muito invasiva e dura mais de duas horas, ou quando exige que o paciente tome anestesia geral.

Abaixo, saiba alguns dos principais riscos decorrentes da cirurgia plástica:

Trombose

A trombose é uma doença grave, que pode decorrer de qualquer cirurgia, não apenas de procedimentos estéticos. Ela se caracteriza pela formação de coágulos de sangue, que podem se soltar e circular pelas veias.  É preciso tomar muitas precauções em relação a este problema, pois se não for tratado rapidamente, pode levar o paciente a ter uma embolia pulmonar, infarto e até mesmo AVC.

A trombose é mais comum em idosos, mas existem outros fatores que podem aumentar o risco, como obesidade, tabagismo e uso de concepcional.

Para evitar esta complicação é fundamental tomar remédios anticoagulantes, como enoxaparina e movimentar os pés e as pernas mesmo enquanto de repouso.

Problemas na cicatrização

Alguns problemas podem aparecer certo tempo depois de a operação ter sido realizada. É o caso das cicatrizes de má qualidade, como as quelóides e as hipertróficas (com aspecto feio, alargado, espesso e, às vezes, doloroso).  Esses tipos de cicatrizes são mais comuns em regiões do corpo como o lóbulo da orelha e entre as mamas.

Em alguns casos, podem surgir as chamadas cicatrizes retráteis, que acontecem quando a pele é repuxada para dentro e cria um buraco na região operada. Para corrigir este problema, são indicadas sessões de fisioterapia estética. Às vezes, é preciso até mesmo que a pessoa passe por uma nova cirurgia plástica para correção da cicatriz.

Próteses: rejeição do organismo

As cirurgias que envolvem a colocação de implante de silicone podem acarretar em um problema imprevisível que é a rejeição da prótese pelo organismo, uma condição que ocorre em cerca de 3% das mulheres por ano. Em alguns casos, é necessário retirar e trocar a prótese. As infecções decorrentes pelo fato de o organismo ter rejeitado o implante devem ser tratadas com o uso de medicamentos receitados pelo médico especializado.

Acúmulo de líquido

Outro imprevisto comum da cirurgia plástica é o acúmulo de líquido em áreas que foram lipoaspiradas. Quando o paciente sente inchaço, fica com a pele avermelhada, com dor e sensação de flutuação no local da cicatriz, pode-se estar desenvolvendo esta complicação.

O líquido acumulado pode ser retirado no consultório médico com a ajuda de uma seringa. Para evitar esta complicação, é essencial que se utilize uma cinta ou curativo compressivo no pós-operatório.

Infecções e hematomas

O risco de contrair uma infecção é comum em torno da cicatriz, porém também pode ocorrer uma infecção interna, causando sintomas como inchaço, dor, febre e pus. Outro problema que ocorre com frequência são os hematomas, manchas roxas que surgem por causa do rompimento de vasos sanguíneos durante a cirurgia.

Por agência digital emarket

.

FONTE: Agência Digital Emarket



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda