Família enfrenta julgamento por matar jovem que disputava vaga de emprego em SP | Santos e Região

    0
    4

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    As quatro pessoas que estão presas por estarem envolvidas no assassinato da jovem Érica de Oliveira Silva, de 24 anos, serão julgada nesta quarta-feira (4), no Fórum de Santos, no litoral de São Paulo. No começo de 2018, a jovem foi morta a facadas pela vizinha, Angélica da Cruz, por conta de uma disputa por uma vaga de emprego.

    O crime ocorreu no bairro Monte Cabrão, na Área Continental de Santos. Érica voltava para casa quando foi provocada por Angélica. O pai da agressora teria segurado Érica. Angélica pegou uma faca, dado pelo marido dela, e deu vários golpes em Érica e nas irmãs dela. Logo após a briga, Angélica fugiu do local e dias depois se apresentou na delegacia acompanhada do advogado, alegando legítima defesa.

    Familiares e amigos pedem justiça por morte de jovem em Monte Cabrão — Foto: Nina Barbosa/G1

    Familiares e amigos pedem justiça por morte de jovem em Monte Cabrão — Foto: Nina Barbosa/G1

    Quase duas semanas depois do crime, o pai, marido e madrasta de Angélica também foram indiciados por homicídio por terem ajudado a assassinar a vizinha. Eles tiveram prisão preventiva decretada. Francisco de Assis da Cruz , Solange Cristina da Luz Cruz e Ronaldo Pereira dos Santos também serão réus no julgamento. Em entrevista ao G1, o pai de Angélica negou ter ajudado a matar Érica.

    No julgamento desta quarta-feira, além dos quatro réus, serão ouvidas as duas irmãs da vítima que também foram atacadas, quatro testemunhas de acusação, uma testemunha de defesa e uma última testemunha comum das duas partes.

    A defesa da família da vítima pede que os acusados respondam pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, duas tentativas de homicídio e corrupção de menor. A primeira audiência do caso ocorreu em junho do ano passado. Nove testemunhas de acusação foram ouvidas. Em julho, a pedido da promotoria, foi feita a reconstituição do crime.

    Francisco, pai de Angélica, disse que filha se defendeu de vizinhas em Santos, SP — Foto: Reprodução/TV TribunaFrancisco, pai de Angélica, disse que filha se defendeu de vizinhas em Santos, SP — Foto: Reprodução/TV Tribuna

    Francisco, pai de Angélica, disse que filha se defendeu de vizinhas em Santos, SP — Foto: Reprodução/TV Tribuna

    Segundo a polícia, Érica e mais três irmãs voltavam para casa quando Angélica, que trabalhava em uma barraca de bananas, as viu na rua e começou a provocar a vítima. Durante a discussão, o pai da acusada teria segurado Érica para que ela ficasse imóvel enquanto a filha esfaqueava a vítima. A faca foi entregue à suspeita pelo próprio marido que, segundo testemunhas, também teve participação no crime.

    Érica deu entrada no Pronto Atendimento Médico (PAM) da Rodoviária de Guarujá já sem vida. Débora e Daniele também foram levadas para a mesma unidade de saúde e em razão da gravidade do caso foram transferidas na mesma noite para o Hospital Santo Amaro.



    Fonte



    Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


    Lima & Santana Propaganda