Há diferença na alimentação de diabéticos dos tipos 1 e 2?

0
16

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
Foto: Conselho Federal de Nutricionistas/Direitos Reservados
Taxa de diabetes cresceu mais de 60% em dez anos. 

Há diferenças na alimentação dos pacientes diagnosticados com diabetes dos tipos 1 e 2? Segundo Cristiane Hanashiro, nutricionista da Beneficência Portuguesa, não há uma alteração específica na dieta de diabéticos dos tipos 1 e 2. Ela ressalta, porém, que cuidar da alimentação com a ajuda de um profissional é importante para ambos. 

’’É fundamental que os diabéticos busquem ajuda especializada e tenham um cardápio personalizado para as necessidades nutricionais, pois, assim, conseguem manter o bom funcionamento do organismo e manter o controle dos níveis de glicose”, explica a profissional.

O diabetes é uma doença metabólica crônica que, segundo dados da Organização Mundial da Saúde, atinge 16 milhões de brasileiros e cuja taxa de incidência cresceu 61,8% mundialmente, nos últimos dez anos.

Tipos de diabetes

O endocrinologista Roberto Abrão Raduan, explica as diferenças entre os dois tipos da doença. “O diabetes do tipo 1 geralmente é diagnosticado na infância ou adolescência e está relacionado a uma incapacidade do pâncreas em produzir a insulina, hormônio que regula o aproveitamento do açúcar no organismo e o nível de glicose no sangue. Já o tipo 2 ocorre quando o organismo não consegue usar de forma adequada a insulina que produz. Assim, o nível de glicose no sangue se mantém elevado. Esse tipo de diabetes é desenvolvido geralmente na vida adulta, mas com o crescimento da obesidade infantil existe um número cada vez maior da doença nessa população, causada pela má alimentação e pelo sedentarismo”, afirma.

Alimentação como aliada no controle do diabetes

Cristiane esclarece que a falta de atenção com a alimentação pode ajudar no surgimento do diabetes. “Uma boa educação alimentar e a prática de atividades físicas são cruciais para a prevenção do diabetes, pois a exposição a fatores de riscos como o consumo excessivo de doces e carboidratos aumentam a probabilidade do aparecimento da doença. Muitas pessoas têm deixado de ter uma alimentação saudável, optando pelo fastfood, refrigerantes e alimentos industrializados, o que tem aumentado a incidência do diabetes, assim como o sobrepeso e a obesidade, que também são fatores de risco”, ressalta a especialista.

Dicas de planejamento de alimentação

De acordo com a nutricionista recomenda-se que pessoas portadoras de diabetes dos tipos 1 e 2 sigam uma dieta saudável, cuidando tanto da qualidade quanto da quantidade de alimentos consumidos. 

1 – Distribua os alimentos entre cinco e seis refeições por dia e não pule o café da manhã, pois o período de jejum durante o sono pode causar hipoglicemia.

2 – Frutas podem ser consumidas com casca ou bagaço e associadas com fibras como lichia, aveia e linhaça, que contribuem para reduzir o nível glicêmico.

3 – Evite frituras e diminua o consumo de gorduras animais como carnes gordas, queijos, leites, manteigas e derivados.

4 – Beba bastante água ao longo do dia.

5 – É importante sempre seguir as orientações médicas e de nutricionistas ao longo da vida.

A nutricionista também dá dicas de alimentos ricos em fibras e proteínas que podem ser utilizados para melhorar o quadro de diabetes. “Em geral, inhame, aipim, leguminosas, verduras, frutas com casca, ovos e iogurtes naturais ajudam a impedir a oscilação de taxas de glicose no sangue, algo que faz muito mal ao paciente diabético”, completa.



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda