Obesidade representa ainda mais risco para pacientes com Covid-19 | Brasil

0
43

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Infelizmente é uma realidade. Não são somente os pacientes hipertensos, diabéticos ou com doenças pulmonares prévias que têm apresentado maiores complicações na vigência da covid-19. Os obesos também foram incluídos na lista de grupo de maior risco.

Uma parcela significativa dos pacientes que têm necessitado de internação em UTI e ventilação assistida apresenta importante alteração na composição corporal. Alguns pacientes mais jovens, sem doenças prévias associadas e que infelizmente faleceram em decorrência da nova doença apresentaram tal condição.

Se pensarmos fisiologicamente, talvez seja possível encontrar justificativas. Precisamos lembrar que nenhum paciente com sobrepeso importante ou obesidade deve ser considerado saudável. Mesmo que não apresente sintomas ou ainda não tenham desenvolvido outras doenças associadas, já ocorrem alterações bioquímicas que precisam ser consideradas; resistência insulínica, hiperinsulinemia, aumento do estresse oxidativo, elevação dos marcadores de inflamação crônica, etc.

A situação da obesidade no Brasil também pode ser considerada uma epidemia. O percentual de brasileiros acima do peso ultrapassa os 55%, chegando a quase 20% quando se consideram critérios para obesidade. Segundo a Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), a prevalência dessa doença crônica aumentou 67,8% em pouco mais de uma década no país (de 2006 a 2018).

Esse crescimento foi observado sobretudo entre a faixa etária dos 25-44 anos. Trata-se de uma doença com sérias consequências para a saúde e não pode ser apenas encarada como uma questão de estética.

Manter-se dentro de um padrão de normalidade da composição corporal é uma necessidade para manter um terreno biológico mais competente, manter a saúde em dia e envelhecer com qualidade.

Esse objetivo passa a ser mais facilmente alcançado quando existe uma conscientização sobre a necessidade de manter um estilo de vida saudável, encabeçada por uma alimentação equilibrada e individualizada. Um real cuidado com a saúde deve fazer parte das reflexões tão necessárias neste período que todos vivemos.

Não se deve aguardar e deixar para depois. Pequenas mudanças realizadas agora já serão capazes de promover alguma melhora metabólica que, mesmo invisível aos olhos, podem contribuir para o equilíbrio e defesa do organismo.

Sávio Cardoso

Médico

Doutor em Ciências pela Faculdade de Medicina da USP



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda