POP ESTÉTICA em andamento (1)

0
13

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA
CLÍNICA ESCOLA DE ESTÉTICA
Tipo de documento
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
POP/RJ nº 000
Título do documento
Drenagem linfática manual 
Elaborado por
Vanessa das Chagas Arruda Gutemberg
Emissão 
16/09/2020
Revisado por
Fabiana Paes Mata
Versão 
01
Aprovado por
Leandro Araujo
Revisão 
/ /2020
1
INTRODUÇÃO
Criada pelo médico dinamarquês Emil Vodder em 1936 como uma técnica coadjuvante, a drenagem linfática manual (DLM) foi estabelecida como padrão ouro no tratamento de linfedema. 
Com o aumento da procura desta técnica, desencadeou também o interesse de profissionais atuando em uma área que não dominam, com conhecimentos rasos e completamente despreparados.
Sabe-se que o sistema linfático tem papel crucial no equilíbrio do fluído corporal e macromolecular, absorção lipídica e na função imune. Porém, o mecanismo fisiológico da DLM sobre demais sistemas permanece pouco investigado.
2
DEFINIÇÃO
Trata-se de uma técnica composta por manobras suaves, lentas, monótonas e rítmicas feita com as mãos, que devem obedecer ao trajeto do sistema linfático superficial.Esta técnica diferencia-se de outros métodos de massagem, especialmente da clássica, por não produzir vasodilatação arteriolar superficial (hiperemia) e por utilizar pressões manuais extremamente suaves e lentas.
3
OBJETIVOS E 
RESULTADOS ESPERADOS
· Redução de edemas e linfedemas
· Retira os líquidos excedentes e as manobras atuam na estimulação das trocas entre células e capilares, estimulando a substância fundamental a permanecer com equilíbrio e com melhor oxigenação celular, com isto tecido apresenta aspecto mais jovem, mais oxigenado e a pele mais tonificada e com mais vigor (vida).
· Provocam mudanças favoráveis com todos os estados de doença que impliquem em edema, os mecanismos de defesa vão ser acionados com regressão de sintomas e melhoria do estado geral do indivíduo.
4
RECURSOS 
NECESSÁRIOS
AMBIENTE 
· Oferecer ao paciente um copo de água antes e depois, sala arejada, clara, 
temperatura acima de 20 graus para evitar vaso constrição e contratação
muscular involuntária.
· Acomodação para o cliente despir-se;
EPI PROFISSIONAL 
· Usar material descartável ex: jaleco, máscara, touca, lençol;
· As mãos devem estar bem limpas, unhas aparadas e sem esmalte;
· Usar roupas confortáveis;
· Dominar as técnicas de drenagem;
· Observar as reações do paciente e as contra indicações;
EQUIPAMENTOS 
Feita com as mãos com movimentos suaves e precisos.
COSMÉTICOS E/OU PRODUTOS 
Cremes ou não (neutros)
5
DESCRIÇÃO DOS
PROCEDIMENTOS
Estimular os gânglios linfáticos primeiramente u2022 Manobras de proximal para distal u2022 Não há preferência para o local de início u2022 Sequência básica u2022 Estimular os gânglios de 5 a 7x para cada execução de manobra u2022 Manobra u2013 repetir de 4 a 6x
6
BIOSSEGURANÇA
PROFISSIONAL 
· Lavagem das mãos do profissional antes e após o atendimento do cliente (A lavagem das mãos deve ser realizada sempre que forem retirados os EPIs; após procedimentos, mesmo que tenham sido efetuados com as mãos enluvadas; quando tocar superfícies e objetos no ambiente de trabalho)
· Uso de uniforme, sapatos fechados, unhas limpas e aparadas e sem adornos nas mãos
· Uso de toalhas individuais
· Uso de luvas, máscara e touca descartáveis (O uso de luvas não dispensa a lavagem das mãos.)
Recomendações 
· Prender o cabelo; 
· Cobrir todo o cabelo com o gorro; 
· Deixar as orelhas protegidas pelo gorro; 
· Evitar brincos; 
· Ao retirar o gorro, puxe-o pela parte superior central e descarte-o no recipiente de resíduos. 
Procedimento de lavagem das mãos 
· Retirar anéis, relógios e pulseira; 
· Posicionar-se junto da pia; 
· Abrir a torneira com a mão dominante e molhar as mãos sem encostar-se na pia; 
· Dispensar sabão líquido 2 a 4 ml na palma da mão; 
· Ensaboar as mãos, friccionando-as por aproximadamente 30 segundos, atingindo palma, dorso das mãos, espaços interdigitais, polegar, articulações, unhas e extremidades dos dedos e punhos;
· Enxaguar as mãos, em água corrente, retirando totalmente o resíduo da espuma e os fragmentos de sabão; 
· Enxugar em papel-toalha, utilizando 2 folhas de papel; 
· Fechar a torneira com o papel-toalha utilizado para o enxugamento das mãos caso ela não seja acionada por pedal, cotovelo ou fotossensível.
CLIENTE 
· Touca
· O estabelecimento deve redobrar o cuidado com a limpeza, fornecendo máscaras e álcool em gel 70%. Além de respeitar o distanciamento de dois metros de cada cadeira, ou maca, e um metro e meio de cada pessoa.
MATERIAIS 
· Maca revestida de material descartável, sólida para evitar trepidações e na altura dos quadris do profissional;
· Desinfecção de superfícies com álcool a 7
AMBIENTE 
· Uso de lâminas, agulhas, estiletes e similares descartáveis com descarte em recipiente de paredes rígidas com identificação 
· Livro de registro de clientes 
· Material esterilizado mantido na embalagem do processo, fechada e datada, até o momento da utilização
· A iluminação e ventilação deverão ser natural e/ou artificial de forma a proporcionar adequadas condições de segurança e conforto. 
· Para a realização de procedimentos de estética e embelezamento, os estabelecimentos deverão possuir área mínima de 10 m², com largura mínima de 2,50m, para o máximo de 02 cadeiras (5m² por cadeira).
· As salas destinadas ao atendimento direto ao cliente (manuseio), deverão dispor de pia lavatório para higienização de mãos provida de dispensador de sabão líquido e suporte para papel toalha, coletor para lixo com tampa e acionamento por pedal e saco plástico, bancadas fixas ou móveis para apoio das atividades, com acabamento liso, impermeável, resistente, lavável, de fácil higienização.
· Garantir que a limpeza dos laboratórios (bancadas, pisos, equipamentos, instrumentos e demais superfícies) seja realizada regularmente antes e imediatamente após o término das atividades laboratoriais. Em caso de derramamentos, dependendo do tipo e quantidade de material biológico disseminado, pode-se empregar, para a descontaminação do local: álcool a 70% ou solução de hipoclorito de sódio, preferencialmente, a 10%, deixando agir por 30 minutos e após remover com papel absorvente;
7
EXECUTANTE
Vanessa Arruda Gutemberg
8
REFERÊNCIAS
· <https://www.minhavida.com.br/beleza/tudo-sobre/16462-drenagem-linfatica>
· TEIXEIRA P.; VALLE S. Biossegurança: uma abordagem multidisciplinar. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1996. p. 123-132.
· FERREIRA, J.J. et al Drenagem linfática manual nos sintomas da síndrome pré-menstrual: estudo piloto. Fisioterapia e Pesquisa, São Paulo, v.17, n.1, p.75-80, jan/mar. 2010;
· TACANI, R.E. et al Intervenção fisioterapêutica nas sequelas de drenagem linfática manual iatrogênica: relato de caso. Fisioterapia e Pesquisa, São Paulo, v.18, n.2, p. 188-94, abr/jun. 2011
· Aspectos Higiênico-sanitários em serviços de estética sem responsabilidade médica. Prefeitura da cidade de Juiz de Fora
· < https://youtu.be/w9wVmpTKtdU>
· Entenda o sistema linfático do nosso organismo (apostila pré e pós u2013 operatório de cirurgia estética- Professora Marli Pereira Franco



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda