Quarentena durante a pandemia aumenta procura pela rinoplastia

0
47

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Flexibilização das medidas restritivas dobrou procedimentos de plásticas no nariz

Bruna Marquezini admitiu que já fez rinoplastia. Foto: Reprodução

Um fenômeno curioso vem chamando a atenção dos cirurgiões plásticos, principalmente para aqueles que são especializados em rinoplastia. Desde a flexibilização da pandemia, aumentaram em seus consultórios a procura pela plástica do nariz.

Ana Claudia Roxo, cirurgiã plástica especializada em rinoplastia, arrisca dizer que o aumento foi mais de mil por cento. A médica, professora do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Pedro Ernesto da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, atribui esse fenômeno ao período de quarentena durante a pandemia do coronavírus.

“O aumento do uso das redes sociais e aplicativos de conferência foram um dos motivos que provocou esse aumento. Isso nos expôs ainda mais e o uso de filtros para corrigir as imperfeições foi um gatilho para o aumento da demanda por procedimentos na face, em especial a rinoplastia”, analisa Ana Claudia Roxo.

Outro fator responsável por essa demanda é, na opinião da médica, o fato das pessoas precisarem ficar em casa. “O período é propício para a realização de cirurgias, já que muitos pacientes ainda mantém home office por conta da quarentena e, assim, o pós-operatório pode ser feito em casa de maneira mais tranquila”, crê.

Rinoplastia não é só estética

A rinoplastia rompeu a barreira da estética e é fundamental na correção de problemas funcionais como o desvio de septo ou a má formação do nariz que comprometem a respiração. Problemas como esses podem ser aliados à rinoplastia estética e funcional. “O nariz é um órgão fundamental na estética da face porque está no centro do rosto. Para ser harmônico, ele precisa combinar com os olhos, com a sobrancelha, a boca, o queixo… Ele dita a estética facial. Mas primeiramente, ele é um órgão funcional. Hoje não conseguimos falar de rinoplastia sem corrigir os problemas funcionais desse órgão. Uma rinoplastia, para ficar bem feita, precisa ser funcional. Mexer apenas na parte estética do nariz não basta. Isso só vai piorar a funcionalidade desse órgão. Hoje em dia, pacientes que praticam atividade física precisam dessa função nasal perfeita. Se essa disfunção prévia for desprezada na cirurgia, você pode comprometer o bom funcionamento do nariz”, conclui Ana Paula.



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda