Técnico de enfermagem do Odilon Behrens é o segundo profissional de saúde de BH a morrer de Covid-19, diz sindicato | Minas Gerais

    0
    29

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    Um técnico de enfermagem que trabalhava na Unidade Pronto Atendimento (UPA) Odilon Behrens morreu, nesta sexta-feira (7), vítima da Covid-19.

    A informação é do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte (Sindibel). Já a Prefeitura de Belo Horizonte disse que a causa do óbito ainda é apurada (leia mais abaixo).

    Segundo o Sindibel, José Célio da Silva, de 54 anos, era diabético, portanto do grupo de risco para a Covid-19, e não foi afastado do trabalho. O sindicato afirma que ele é o segundo profissional de saúde da rede municipal de Belo Horizonte a morrer por causa do novo coronavírus.

    O presidente do Sindibel, Israel Moura, disse ao G1 que os servidores estão com medo de ficar na linha de frente do enfrentamento à pandemia e que “cada óbito é motivo de mais apreensão”.

    O mais recente boletim epidemiológico da Prefeitura de Belo Horizonte, desta sexta (7), informa que 6.201 profissionais de saúde da rede pública e privada foram testados e que 1.001 (16%) deles deram positivo para a Covid-19, além de outros 187 estarem em investigação.

    Considerando apenas os profissionais de saúde da rede própria do SUS-BH, foram 469 que testaram positivo, dos quais 36% (171) eram técnicos de enfermagem.

    Um ato em homenagem ao profissional de saúde será realizado pelo sindicato na próxima segunda-feira (10).

    De acordo com a irmã de José Célio, Maria das Dores da Silva, ele trabalhava na saúde da capital havia cerca de 20 anos. Já trabalhou no banco de sangue e atualmente estava na farmácia do pronto atendimento.

    Ela contou que o irmão saiu do plantão com sintomas no dia 26 e já teve que ser internado no dia 27 de julho.

    Ela chegou a perguntar ao irmão se ele poderia estar trabalhando, já que ele tinha comorbidades. E, segundo ela, o técnico de enfermagem contou que foi ao médico para dizer que era do grupo de risco, mas que não conseguiu ser dispensado do trabalho, inclusive teve as férias canceladas.

    José Célio vai ser enterrado em Arcos, no Centro-Oeste de Minas Gerais.

    José Célio da Silva trabalhava na UPA Odilon Behrens. — Foto: Arquivo pessoal

    Prefeitura divulga nota de pesar

    A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, afirmou que o técnico de enfermagem atuava na farmácia da UPA HOB, “sem contato direto com área destinada ao atendimento a pacientes Covid-19” e que a causa de sua morte ainda é apurada.

    Segundo a prefeitura, apenas profissionais com idade superior a 60 anos, além de gestantes e os comprovadamente imunossuprimidos, cujas funções impliquem o contato direto com pacientes com suspeita de Covid-19, foram afastados do trabalho presencial, como forma de prevenção.

    “Os trabalhadores sintomáticos e assintomáticos com contato domiciliar confirmado para Covid-19 são afastados e submetidos a exame para detecção do novo coronavírus”, disse a prefeitura.

    Uma nota de pesar assinada pelo superintendente do Complexo Hospitalar Odilon Behrens, Danilo Borges Matias, e divulgada neste sábado (8), manifesta “o mais profundo sentimento de pesar pelo falecimento de José Célio da Silva”.

    “Sua dedicação, comprometimento e empenho serão sempre lembrados por todos os amigos e colegas. Aos familiares, amigos e colegas de trabalho, manifestamos nossos votos de paz e solidariedade”, conclui a nota de pesar.



    Fonte



    Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


    Lima & Santana Propaganda