11 DRENAGEM LINFÁTICA-1-1 – Estética Geral

0
59

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
DRENAGEM 
LINFÁTICA MANUAL 
Profa. Kalyne Cavalcanti 
Natal/RN 
Maio de 2016 
Aula 9 
Sistema Linfático 
Sistema Linfático 
u2022 O sistema linfático consiste de uma rede de tubos finos 
chamados vasos linfáticos e estruturas ovais chamados 
de gânglios linfáticos que são encontradas em todo o 
corpo. Esta rede serve para coletar e filtrar a linfa. 
Sistema Linfático 
u2022 O sistema linfático é paralelo à circulação venosa. 
Um líquido u201camarelou201d chamado de linfa deixa os vasos 
sanguíneos, se mistura com água e os líquidos 
intersticiais (ou seja, entre as células). 
Este líquido contém substâncias nutrientes, as células 
sanguíneas do sistema imunológico e os resíduos 
expelido das células. 
u2022 O sistema linfático transporta o líquido nos vasos 
linfáticos e nos linfonodos que contêm as células do 
sistema imunológico. Este sistema não tem uma 
u201cbombau201d para empurrar o fluido, o movimento dos 
músculos do corpo empurra o líquido para o coração. 
Quando o líquido chega nos linfonodos a linfa é filtrada. 
Função do Sistema Linfático 
u2022 O papel do sistema linfático é de suma importância 
devido as suas funções na formação transporte, filtração 
de células linfoides e no equilíbrio circulatório, como 
reabsorção, transporte do líquido e da carga proteica 
excedente do espaço intersticial. 
Linfedema 
u2022 O linfedema é um quadro patológico de desordem 
vascular, geralmente, por bloqueio do sistema linfático, 
onde se observa um déficit no equilíbrio das trocas de 
líquidos em nível de interstício. Consiste em um 
acúmulo do fluido linfático no tecido intersticial, o que 
causa edema. É mais frequente em braços e pernas, 
quando os vasos linfáticos estão prejudicados 
u2022 O líquido acumulado na região afetada é rico em 
proteínas e pode causar redução na disponibilidade de 
oxigênio e fornecer um meio de cultura bacteriana, o 
que pode levar a linfagite. Geralmente é indolor com 
uma sensação crônica de peso nas extremidades. 
Sintomas 
u2022 Os sintomas que eventualmente podem aparecer são: 
pele lisa e/ou brilhante; sensação de braços ou pernas 
pesados; pele similar a casca de laranja; 
hiperqueratose; marcas ou espessamento da pele 
quando pressionada; desenvolvimento de verrugas ou 
bolhas pequenas; inchaço indolor que começa nas mãos 
ou pés e progride em direção ao tronco e o uso de 
anéis, relógios e roupas tornam-se difíceis 
Linfedema agudo e crônico 
u2022 O linfedema agudo pode se desenvolver alguns dias ou 
semanas após a radioterapia ou cirurgia e dura menos 
de seis meses. Contudo, com o retorno da circulação 
normal da linfa, o inchaço tende a desaparecer. 
Linfedema agudo e crônico 
u2022 Já o linfedema crônico ocorre quando as alterações do 
sistema linfático já não suprem as necessidades do 
corpo em relação à drenagem da linfa, podendo ocorrer 
logo após a cirurgia ou radioterapia, ou meses ou anos 
apões o tratamento do câncer. O linfedema crônico, 
contudo, não há cura, porém pode ser controlado 
As classificações do linfedema 
podem ser: 
u2022 Grau I u2013 Linfedema reversível com elevação do membro 
e repouso no leito durante 24-48h, nesse caso é um 
edema depressível à pressão; 
u2022 Grau II u2013 Linfedema irreversível com repouso 
prolongado, fibrose no tecido subcutâneo de moderada 
a grave e edema não depressível à pressão; 
u2022 Grau III u2013 Linfedema irreversível com fibrose acentuada 
no tecido subcutâneo e aspecto elefantiásico do 
membro. 
Diagnóstico 
u2022 O diagnóstico do linfedema pode ser feito através da 
observação dos sintomas, e através de exames clínicos 
que são necessários não somente para dar precisão ao 
diagnóstico, mas também para o planejamento do 
tratamento 
Diagnóstico 
u2022 A linfocintilografia é um procedimento confiável para 
confirmar o diagnóstico de linfedema. A tomografia 
computadorizada mostra a localização e o padrão do 
sistema linfático, e se um tumor ou outra massa pode 
estar obstruindo o fluxo do sistema linfático. Usa-se a 
perimetria como forma de acompanhar o edema e para 
calcular o volume de líquido acumulado. O ultrassom é 
utilizado para visualizar o fluxo do sistema linfático. 
DLM 
A drenagem linfática manual (DLM) é uma técnica 
específica que utiliza uma ou ambas as mãos com 
movimentos rítmicos e suaves, com o objetivo de drenar o 
excesso de líquido acumulado no espaço intersticial. Os 
métodos mais utilizados são o de Vodder, Leduc e Godoy. 
Embora cada um tenha as suas particularidades, ambos 
requerem um conhecimento da anatomia do sistema 
linfático, de modo a saber a orientação da drenagem. 
u2022 A drenagem linfática manual é uma técnica de 
massagem que tem por objetivo estimular o sistema a 
trabalhar de forma mais acelerada movimentando a linfa 
até os gânglios linfáticos. 
u2022 Entre os principais benefícios do método estão a 
redução da retenção de líquido, ativação da circulação 
sanguínea, combate à celulite e até o relaxamento 
corporal. 
u2022 Utilizam-se manobras específicas descongestionantes 
manuais e mecânicas, seguidas de uma técnica de 
compressão externa, constituída por bandagens de 
baixa elasticidade, após a aplicação de pressoterapia a 
40 mmHg de pressão, onde a pressão é feita de distal 
para proximal. 
u2022 Através da pressão mecânica exercida pela DLM é 
possível atingir um aumento da reabsorção do líquido 
intersticial pelos coletores linfáticos. 
u2022 Os tratamentos para o linfedema buscam a redução do 
edema, prevenção de infecção, além da melhora do 
aspecto e aumento do uso dos membros. 
u2022 Dentro do tratamento estão técnicas de elevação, 
drenagens, compressão, elevo-compressão, 
higienização e cinesioterapia. 
u2022 A elevação ajuda a reduzir o edema e incentivar a 
drenagem (gravitacional) do sistema linfático, contudo 
não se deve manter por períodos prolongados. 
u2022 A drenagem linfática ajuda a reduzir o edema, e seus 
resultados são os melhores, quanto mais cedo o início 
da aplicação da técnica mais cedo o resultado. 
u2022 A compressão se dá pela aplicação de pressão em cima 
da parte afetada, incentivando a drenagem do sistema 
linfático. É muito útil na prevenção do edema. 
u2022 A elevo-compressão proporciona a redução do edema e 
o incentivo à drenagem linfática gravitacional. 
u2022 A higienização ajuda a prevenir infecções na região do 
linfedema impedindo a evolução de algo mais grave. 
Lavar a área com sabão e usar loções sem álcool 
podem garantir a prevenção de infecção. Medicamentos 
antifúngicos ou antibióticos podem ajudar. 
u2022 Os exercícios da cinesioterapia melhoram o fluxo do 
sistema linfático, pois a contração muscular auxiliar no 
retorno da linfa, melhora a capacidade do corpo de 
absorver proteínas presentes no líquido extravasado, 
além de favorecer o fortalecimento muscular. 
Indicações da DLM 
u2022 Acne 
u2022 Couperrose 
u2022 Rosácea 
u2022 Celulite (FEG) 
u2022 Pré e pós cirurgia plástica 
u2022 Tratamento de cicatrizes 
u2022 Quelóides e cicatrizes hipertróficas 
u2022 Tratamento de rejuvenescimento 
u2022 Relaxamento 
http://www.dermatofuncional.pt/wp-admin/post.php?post=106&action=edit
Contra indicações relativas 
u2022 Câncer diagnosticado e já tratado 
u2022 Inflamações crônicas 
u2022 Tratamento realizados anteriormente para trombose ou 
tromboflebite 
u2022 Hipertireoidismo 
u2022 Asma brônquica 
u2022 I.C.C. (insuficiência cardíaca congestiva) 
u2022 Hipotensão arterial 
u2022 Distonia neuro-vegetativa 
Contra indicações absolutas 
u2022 Neoplasia (câncer) de qualquer origem 
u2022 Inflamações agudas 
u2022 Trombose 
http://www.dermatofuncional.pt/wp-admin/post.php?post=106&action=edit
Godoy 
u2022 Godoy & Godoy descreveram uma nova técnica de 
drenagem linfática, utilizando roletes como mecanismos 
de drenagem; com esta técnica, passou-se a questionar 
a utilização dos movimentos circulares preconizados 
pela técnica convencional



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda