Anatomia do rim – Anatomia Humana II

0
23

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
Anatomia do rim
· 
· Drenagem linfática: ¾ de drenagem do nosso corpo é via torácico. 
· Quando falamos de cavidade abdominopélvica, não tem diferença, pois todos vão drenar primeiro para cisterna do quilo, fluem para ela linfa de três vasos linfáticos: tronco intestinal, tronco lombar esquerdo e tronco lombar direito. 
· Os vasos linfáticos da parte superior, por meio dos linfonodos lombares, drenam através dos troncos linfáticos lombares para a cisterna do quilo. 
· Os nervos da parte abdominal dos ureteres provêm dos plexos renal, aórtico abdominal e hipogástrico superior. 
· As fibras aferentes viscerais que conduzem a sensação de dor (p.Ex., causada por obstrução e consequente distensão). 
· Bexiga urinária:
· A bexiga urinária, uma víscera oca, que tem fortes paredes musculares, é caracterizada por sua Distensibilidade. 
· A bexiga é um reservatório temporário, sua posição varia. 
· A bexiga vazia está na pelve menor, a bexiga cheia está na pelve superior. 
· A bexiga é separada dos ossos púbicos pelo espaço retropúbico. 
· Em lactentes e crianças pequenas, a bexiga urinária está no abdome mesmo quando vazia. 
· A bexiga vazia tem formato quase tetraédrico e externamente tem ápice, corpo, fundo e colo. 
· O trígono da bexiga é formado pelo óstio do ureter direito, pelo óstio do ureter esquerdo e pelo óstio interno da uretra. 
· A parede da bexiga urinária é formada pelo músculo detrusor. 
· As fibras musculares do homem formam o músculo esfíncter interno da uretra involuntário. 
· Os óstios do ureter e o óstio interno da uretra estão nos ângulos do trígono da bexiga, ele estão lá para direcionar a urina, facilitar a micção e não deixar que a urina retorne. 
· Úvula da bexiga, uma pequena elevação do trígono. 
· Irrigação arterial da bexiga:
· Artéria vesical superior: supre muitos ramos para o fundo da bexiga (irrigam as partes anterossuperiores). 
· Artéria vesical inferior: Origina-se com a artéria renal média, ramo da artéria ilíaca interna. Irrigam o fundo e o colo da bexiga. 
· As artérias de irrigação principal da bexiga: artéria vesical superior e artéria vesical inferior. 
· Nas mulheres as artérias vaginais substituem as artérias vesicais inferiores e enviam pequenos ramos para as partes posteroinferiores da bexiga urinária. 
· As veias que drenam a bexiga formam um complicado plexo venoso nas faces inferolaterais para terminar nas veias ilíacas internas. 
· O plexo venoso vesical é a rede venosa que tem associação mais direta à própria bexiga urinária. 
· Uretra masculina: 
· Parte intramural (pré-prostática): estende-se quase verticalmente através do colo da bexiga. 
· Parte prostática da uretra: Desce através da parte anterior da próstata, fazendo uma curva suave, com concavidade anterior; é limitada anteriormente por uma parte deprimida vertical (rabdoesfíncter) do M. esfíncter externo da uretra. 
· Parte membranácea (intermédia): Atravessa o espaço profundo do períneo, circundada por fibras circulares do M esfíncter externo da uretra;
· Parte esponjosa da uretra
· Drenagem venosa da uretra: 
· A drenagem venosa da parte anterior da uretra corre para as veias dorsais do pênis e veias pudendas internas, que drenam para o plexo venoso prostático. 
· Uretra feminina: 
· 4 cm de comprimento e 6 mm de diâmetro. 
· O óstio externo da uretra feminina está localizado no vestíbulo da vagina, a fenda entre os lábios menores dos órgãos genitais externos, diretamente anterior ao óstio da vagina. 
· A uretra situa-se anteriormente à vagina seu eixo é paralelo ao da vagina. 
· A uretra feminina é irrigada pelas artérias pudenda interna e vaginal. 
· As veias seguem as artérias e têm nomes semelhantes.

Página1



Fonte