Após unidade de saúde em Tabatinga, no AM, atingir capacidade máxima para atender pacientes, Hospital de Guarnição recebe respiradores | Amazonas

    0
    69

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    O Hospital de Guarnição de Tabatinga, interior do Amazonas, recebeu sete unidades de aspiradores portáteis e dez respiradores para reforçar o atendimento a pacientes com a Covid-19, segundo informou o Ministério da Saúde, nesta segunda-feira (18). Tabatinga tem 525 e 46 mortes pela doença.

    O envio dos equipamentos ocorreu quase um mês após a Unidade de Pronto Atendimento de Tabatinga atingir a capacidade máxima para atender pacientes com Covid-19. Com a situação, o Hospital de Guarnição passou a ser a única referência para os pacientes infectados pelo novo coronavírus. No entanto, a unidade militar também estava na capacidade máxima.

    De acordo com o Ministério da Saúde, também foram destinados à unidade de saúde materiais e insumos são: três mil aventais descartáveis; oito mil gorros descartáveis; 15 mil máscaras descartáveis com elástico; mil máscaras N95 e cinco óculos de proteção cirúrgica.

    Além de Tabatinga, a unidade de saúde de São Gabriel da Cachoeira também recebeu o reforço, segundo o governo. Os dois municípios amazonenses concentram grande número de indígenas.

    Foram destinados ao Hospital de Guarnição de São Gabriel sete unidades de aspiradores portáteis; sete unidades de desfibriladores, 15 oxímetros e oito respiradores.

    Ainda segundo o Ministério, 11 profissionais de saúde do Hospital Militar de área de Brasília foram deslocados para reforçar o atendimento à população em São Gabriel da Cachoeira. São duas médicas; uma fisioterapeuta; duas enfermeiras e seis técnicas de enfermagem.

    Ação pede melhorias no atendimento

    Uma ação civil pública, com pedido de liminar, pede que o governo Federal e o Governo Estadual adotem medidas para tratamento da covid-19 na região do Alto e Médio Solimões.

    A ação foi ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do estado do Amazonas (MP-AM), a Defensoria Pública da União (DPU) e a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE/AM).

    Entre os pedidos da ação estão a ampliação e a estruturação de leitos no Hospital de Guarnição de Tabatinga (HGUT), para garantir acesso universal e igualitário, enquanto durar a pandemia de covid-19, a militares e civis, indígenas ou não indígenas.

    A ação civil abrange os municípios de Tabatinga, Benjamin Constant, Amaturá, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, Tonantins, Jutaí e Atalaia do Norte.

    Na região do Alto Solimões, já foram confirmados mais de 640 casos de covid-19. Por estar situada na Tríplice Fronteira, entre Brasil, Colômbia e Peru, os órgãos destacam na ação que é preciso considerar também a situação da pandemia nos países vizinhos. Em Letícia, por exemplo, cidade colombiana conurbada com Tabatinga, há 229 casos confirmados de covid-19, o que representa o maior número de casos por milhão de habitantes da Colômbia.



    Fonte