Bairro Santo Antônio é o primeiro em Lajeado a receber mutirão de castração animal

0
237

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
Inicialmente serão visitados os residenciais Novo Tempo I e II, que somam 448 famílias (Foto: Natalia Ribeiro/ Arquivo)

Deve ter início na próxima semana a fase prática do Programa de Controle Populacional de Cães e Gatos em Lajeado, partindo do Bairro Santo Antônio. Pelo menos três mil animais que pertencem a moradores da comunidade deverão ser atendidos. Esse será o primeiro bairro contemplado com a iniciativa, que busca “diminuir significadamente o número de animais de rua ou em situação precária social”, conforme o secretário municipal do Meio Ambiente, Luis Benoitt.


OUÇA A ENTREVISTA



Lajeado tem um programa para atender aos bichos que vivem nas ruas, com duas castrações semanais disponibilizadas para cada uma das Organizações Não Governamentais (ONGs) cadastradas no município – atualmente três, totalizando seis procedimentos a cada sete dias. Contudo, a administração diz que percebia as dificuldades financeiras de famílias para castrar cães e gatos. O fiscal operacional do programa, Juliano Pelegrini, comenta que “vimos essa dificuldade com famílias que têm vários animais, pátio aberto, situação de risco e que não teriam condições”.

Pelegrini também coordena o Centro de Controle de Zoonozes e Vetores de Lajeado (CCZV), que atualmente conta com 140 animais. No caso do programa voltado às famílias, o custeio será feito integralmente pela prefeitura. “Não tem custo nenhum. Terão gratuidade na castração”, destaca o coordenador. Agentes de saúde fizeram levantamento no Santo Antônio e, em alguns casos, há famílias com seis animais. O secretário Benoitt garante que não haverá limite de castração por grupo familiar, porém, ele lembra que o munícipe deverá estar atento aos cuidados pós-operatórios.

Fiscal operacional do programa e coordenador do Centro de Controle de Zoonozes e Vetores de Lajeado, Juliano Pelegrini (Foto: Natalia Ribeiro)

Todos os bairros deverão receber a iniciativa, a começar pelos mais carentes, como Santo Antônio, Conservas e Morro 25. Podem participar pessoas de baixa renda, cadastradas em programas sociais. Elas deverão fazer agendamento pelo telefone 3982-1222, do Meio Ambiente, e informar o Número da Inscrição Social (NIS).

Na primeira ação, a ser realizada na próxima segunda-feira (4), serão visitados os residenciais Novo Tempo I e II, que somam 448 famílias. Animais resgatados das ruas continuarão sendo castrados e lavados ao Canil Municipal. O Censo 2010, do IBGE, apontou que o Santo Antônio tem cerca de 3,2 mil habitantes. O número estimado de atendimentos, de três mil, aponta, praticamente, para uma castração a cada morador. O estudo populacional será atualizado em 2020.

Investimento

Uma clínica veterinária de Lajeado foi contratada para realizar as castrações, que terão limite de 30 por semana. A empresa foi definida em licitação, via menor preço. O procedimento na cadela terá custo de R$ 200 e no cachorro de R$ 140 cada. Já para os felinos será de R$ 150 para fêmea e de R$ 80 para o macho.

O preço é unitário e contempla pré-operatório, com exames laboratoriais, trans-operatório e pós-operatório, ofertando assistência ao animal até a retirada dos pontos. Os munícipes que não tiverem meio de locomoção terão os animais conduzidos pela prefeitura.

O projeto se tornou realidade a partir da atualização da lei 9640/2014, com aprovação unânime pela Câmara de Vereadores, no começo de setembro. A matéria trata do controle e da prevenção de zoonoses e vetores em Lajeado.

Texto: Natalia Ribeiro/ [email protected]





Fonte