Brasileira relata ‘alívio’ com relaxamento gradual do isolamento social em Portugal | Santos e Região

    0
    69

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    A brasileira Bianca Ferreira Prado, de 27 anos, que está há 11 meses morando em Portugal, passou por momentos de tensão devido à pandemia do novo coronavírus. Ela e o marido saíram de Bertioga, no litoral de São Paulo, para buscar condições melhores no exterior, no entanto, a vida dos dois virou de cabeça para baixo diante da Covid-19. Com a liberação gradual da circulação de pessoas no país, ela afirma que se sente aliviada.

    Desde 18 de março, Portugal estava em estado de emergência e determinou o isolamento obrigatório da população. O país, que tem uma política de combate à pandemia vista como exemplo, terá um processo de transição em três fases. A primeira começou na segunda-feira (4), com a reabertura de alguns comércios e praias liberadas para prática de surfe e natação.

    Casal se mudou para Portugal há 11 meses e quase voltou para o Brasil em meio à pandemia — Foto: Arquivo Pessoal/Bianca Ferreira Prado

    Casal se mudou para Portugal há 11 meses e quase voltou para o Brasil em meio à pandemia — Foto: Arquivo Pessoal/Bianca Ferreira Prado

    “A gente estava esperando por isso há muito tempo. Primeiro, entramos no estado de emergência, que era para ser somente 15 dias. Depois, aumentou para mais 15, depois mais um pouco. Ficamos sem um Norte, sem uma direção. Não sabíamos quando ia voltar ao normal”, conta.

    Ela e o companheiro, Guilherme Scremin Ferreira Prado, de 31 anos, perderam o emprego e até chegaram a pensar em voltar para o Brasil. Bianca relata que as economias que eles tinham somente bancavam as despesas com alimentação, e eles tiveram que sair da casa de aluguel onde viviam, na região de Algarve. Por sorte, uma amiga, também brasileira, ofereceu ajuda e o casal foi morar em Lisboa.

    “Nosso trabalho era diretamente ligado ao turismo, o setor que praticamente foi atingido primeiro. Pensamos em pedir ajuda para o consulado nos repatriar, foi um desespero. Investimos muito para estar aqui, vendemos todas as nossas coisas. Ficamos com medo de perder tudo o que investimos”, explica. Mas, com a ajuda da amiga, o casal conseguiu se restabelecer e arrumar um emprego no novo lugar.

    “A nossa sensação, agora, é de muito alívio, porque realmente começamos a voltar ao normal. Ainda estamos com a expectativa até 1º de junho, quando realmente vai voltar. Na verdade, vamos descobrir uma nova realidade, porque tudo mudou. Estamos esperando como vai ser. Ainda é uma incógnita” finaliza.

    Brasileiros perderam emprego, mas conseguiram se restabelecer — Foto: Arquivo Pessoal/Bianca Ferreira PradoBrasileiros perderam emprego, mas conseguiram se restabelecer — Foto: Arquivo Pessoal/Bianca Ferreira Prado

    Brasileiros perderam emprego, mas conseguiram se restabelecer — Foto: Arquivo Pessoal/Bianca Ferreira Prado



    Fonte