Conheça 5 projetos sociais brasileiros liderados por mulheres

0
24

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Em todo o Brasil, mulheres desenvolvem projetos sociais das mais diversas áreas, beneficiando diferentes setores da sociedade. Confira a lista que preparamos com cinco desses projetos

Foto: Adobe Stock

Por Laura Patta

Muitos projetos sociais são criados ou liderados por mulheres, em todo o Brasil. Uma pesquisa realizada pelo GIFE mostrou que, das 77 organizações da sociedade civil associadas à instituição, 51% contam com mulheres em posições de liderança.

Donas de um espírito solidário, as mulheres também são maioria dentre as pessoas que atuam como voluntárias. Segundo dados do Riovoluntário (RJ), 78% das pessoas cadastradas são mulheres. Além disso, conforme uma pesquisa do IBGE de 2016, a porcentagem de mulheres que realizam trabalho voluntário é de 4,6%, enquanto a de homens é de 3,1%.

A representatividade feminina auxilia no desenvolvimento de projetos sociais que abordam as causas das mulheres, além de proporcionar oportunidades profissionais para esse segmento tão importante da população.

Pensando nisso, separamos cinco projetos sociais liderados por mulheres. Confira na lista com qual organização você mais se identifica, e colabore com doações ou mesmo com a divulgação, para que mais pessoas a conheçam.

E se você conhecer ou atuar em um projeto que não está lista, coloque nos comentários do post, para que mais pessoas saibam que ele existe!

1. Associação Fala Mulher

Atuação: São Paulo capital

Site: Associação Fala Mulher

Liderada por: Suzanne Marie Mailloux, A psicóloga e teóloga canadense fundou a organização para combater a violência doméstica vivenciada por crianças e mulheres. A inspiração surgiu em 1995, quando ela veio ao Brasil para desenvolver trabalhos sociais e pôde observar o contexto da violência contra a mulher no país.

O que faz: Atua no enfrentamento à violência doméstica contra a mulher, na construção da equidade de gênero, na promoção da independência financeira feminina, na facilitação do acesso às informações sobre a Lei Maria da Penha e aos direitos das mulheres. Oferece moradia, alimentação, transporte, assistência social, psicológica e jurídica a mulheres desabrigadas, ou vítimas de violência doméstica.

2. Stem Para Minas

Atuação nacional

Site: Stem Para Minas

Liderado por: Isabela Laís. A estudante de Física e Computação pela Minerva Schools sempre foi apaixonada por ciências exatas, mas se sentia incomodada com a falta de inclusão de meninas na área. Ela identificou vários aspectos que contribuem para a baixa representação feminina, e decidiu criar uma rede de apoio para meninas, o Stem Para Minas.

O que faz: Produz conteúdos – como revistas, livros e podcast – para inspirar meninas e mulheres a participarem das ciências exatas. Divulga cursos, acampamentos e palestras relacionados ao tema.

3. Banco de Alimentos

Atuação nacional

Site: Banco de Alimentos

Liderado por: Luciana Chinaglia Quintão Norteada. A economista criou a ONG, pois acredita que todos somos responsáveis pela realidade socioeconômica do país e, como sociedade, aceitamos, de alguma forma, o quadro de desperdício.

O que faz: Recolhe alimentos que não têm mais valor no comércio e indústria, mas ainda estão aptos para consumo, e os distribui onde são mais necessários. Em vez de jogar fora legumes, massas e frutas, instituições parceiras doam os excedentes à ONG, que repassa às entidades sociais.

4. Instituto Rede Mulher Empreendedora

Atuação nacional

Site: Instituto Rede Mulher Empreendedora

Liderado por: Ana Fontes. A publicitária fundou a empresa de avaliação de serviços Elogie Aqui, e foi selecionada para um programa de empreendedorismo da FGV. Mais de 1000 mulheres se inscreveram, mas apenas 35 foram escolhidas, e isso deixou Ana incomodada. Ela sentiu que precisava compartilhar o que estava aprendendo com outras mulheres, e por isso criou o Instituto Rede Mulher Empreendedora.

O que faz: Promove a geração de renda da mulher, por meio do empreendedorismo e empregabilidade. Desenvolve projetos e capacitações para mulheres através de mentorias, palestras e cursos.

5. Mulheres de Peito e Cor

Atuação: Rio de Janeiro

Site: Mulheres de Peito e Cor

Liderado por: Jacqueline Faria, uma mulher que venceu o câncer de mama.

O que faz: Dá apoio a mulheres com câncer ou fibromialgia e mulheres em situação de rua. Apresenta ferramentas para geração de renda, além de organizar campanhas de arrecadação para financiar próteses de silicone para mulheres que passaram por cirurgia de retirada total ou parcial da mama como forma de tratamento para o câncer.




Fonte