Conheça a nova geração dos fios de sustentação com efeitos naturais – Revista Marie Claire

0
19

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Os fios combatem a flacidez e promovem a síntese de novas fibras de sustentação  (Foto: Thinkstock)

Algumas pessoas torcem o nariz quando ouvem falar sobre fios de sustentação. Mas a impressão negativa sobre esse procedimento diz respeito ao passado, quando os fios permanentes começaram a ser aplicados – mais conhecidos como fios russos, de ouro ou búlgaro – há mais de duas décadas e provocaram alguns efeitos não desejados, como inflamações. Porém na última década, com o emprego de tecnologia e inteligência artificial, os fios evoluíram muito e hoje se apresentam em nova formatação, com mais benefícios e segurança para quem decide colocá-lo.

Os novos fios
A maioria dos fios que existe hoje no mercado são de PDO (polidioxanona), uma fibra sintética biocompatível e absorvível pelo organismo com grande capacidade tênsil. É um material bastante compatível com o organismo, com baixíssimo índice de rejeição ou possibilidades de efeitos colaterais. E há ainda mais uma informação sobre esse material, que o fez ser o escolhido para os tratamentos estéticos: ele é capaz de estimular a atividade das fibras elásticas e dos fibroblastos (células indutoras de colágeno) melhorando muito a sustentação da pele. Os fios também se diversificaram em seus formatos. Há os lisos, os espiculados, em forma de parafuso e em cones apenas para citar os mais comuns. Cada um deles é responsável por um benefício para o rosto.

Ações rejuvenescedoras

De forma geral, os fios de sustentação de PDO atualmente são indicados para promover um boost na produção de colágeno e dar mais firmeza e hidratação para a pele, promover um lifting e elevar os tecidos de diversas parte da face, melhorar o contorno do rosto, reduzir a flacidez, preencher rugas profundas e sulcos. Os fios ainda induzem a produção de colágeno, aumentando a síntese de ácido hialurônico e melhorando substancialmente a microcirculação local. Ou seja, de uma só vez, esse procedimento estica a pele, promove preenchimento onde é necessário e reposiciona a gordura da face, equilibrando seu formato e promovendo o rejuvenescimento facial. No rosto, podem ser colocado nas pálpebras superiores e nas laterais do rosto para acabar com a flacidez e nos sulcos entre nariz e lábios. Também apresenta ótimos resultados na papada. No corpo, as áreas mais procuradas são colo, abdômen, região interna das coxas, braços e joelhos.

Rejuvenescimento íntimo melhora lubrificação vaginal  (Foto: Divulgação )

Os fios também podem ser colocados no corpo para combater a flacidez   (Foto: Divulgação )

Como é feito o procedimento
O primeiro passo é marcar uma consulta com um dermatologista, capacitado a colocar os fios. Em um primeiro momento, ele fará um diagnóstico da sua pele, indicando a quantidade e os tipos de fios mais indicados para você. O procedimento pode ser realizado no próprio dia, já que não exige preparo nem a realização de exames, no consultório médico, com anestesia local. Pode durar de 40 minutos e 1h20, dependendo da quantidade de fios a serem colocadas. Após a aplicação recomenda-se não praticar atividades físicas de alto impacto ou carregar pesos excessivos por cerca de uma semana. O tratamento só não é recomendado para gestantes ou pessoas com doenças autoimunes.

Efeito natural
Quanto aos resultados, o que mais chama atenção é a naturalidade do rejuvenescimento que ele oferece e o aspecto tratamento que ele proporciona, não só oferecendo um lifting imediato como estimulando a formação de novas fibras de sustentação da pele. Os efeitos plenos da aplicação podem ser observados em duas semanas e eles são absorvidos pelo organismo em aproximadamente seis meses, com efeitos rejuvenescedores perceptíveis por até dois anos.

Entrevista com especialista

Cibele Hasmann, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, é especialista na aplicação dos fios há seis anos e já realizou milhares de procedimentos em homens e mulheres de diferentes faixas etárias. A seguir, ela esclarece dúvidas sobre o procedimento.

MARIE CLAIRE – De que forma os fios de PDO trouxeram uma evolução para o rejuvenescimento da pele?
CIBELE HASMANN
– Os tratamentos com fios de pdo são muito versáteis e permitem uma extensa gama de tratamentos devido à grande variedade de tipos de fios. É possível desde procedimentos mais simples, como a bioestimulação, até os mais complexos de tração com efeito lifting de face e pescoço.

MC – Em quais aspectos trazem mais benefícios se comparados aos permanentes?
CH –
Os benefícios dos fios de PDO estão principalmente nos resultados naturais, bastante satisfatórios, e no baixo índice de complicações, quando comparados aos permanentes.

MC – Como o material do fio, o PDO, é capaz de estimular as fibras de colágeno e elastina?
CH –
A polidioxanona estimula a produção de colágeno tipo 1 e 3, que são importantes para a firmeza e elasticidade da pele. Isso ocorre por ação sobre as células chamadas fibroblastos, possibilitando que haja surgimento de novas fibras e o fortalecimento dos septos pre-existentes.

MC – Qual é o tamanho do fio e como são aplicados?
CH
– Os tamanhos são muito variáveis, de 3 A 18 CM de comprimento, e espessura pequena, entre usp 7.0 A 0.0.

MC – Em qual camada da pele eles são colocados?
CH
– Eles são colocados no plano subcutâneo superficial, abaixo da derme.

MC – Qual será a evolução dos fios de PDO?
CH –
Novos fios já chegaram no Brasil, com diferentes efeitos de “preenchimento”, e a tendência é que haja ainda mais modelos. Além disso, há evoluções nas técnicas de aplicação, para um resultado cada vez mais natural, assim como o uso em novas áreas corporais.

Depoimento – Quem fez conta como foi
“Prestes a fazer 49 anos, eu estava me preparando para uma cirurgia plástica. A flacidez da pele já impactava à definição do formato do rosto e procedimentos estéticos mais leves já não ajudavam mais. Achei que a única solução seria mesmo ir para a faca, fazer uma cirurgia convencional. Mas não foi preciso. Fiquei sabendo da evolução dos fios e me submeti ao procedimento, ainda que sem muitas expectativas. Fiz aplicação de vários fios i – Thread, da MedBeauty, de diferentes formatos e tamanhos. A aplicação durou cerca de dois horas e alguns poucos fios doeram um pouco ao serem inseridos, mas nada que me desanimasse. Sai do consultório com a pele inchada, mas a surpresa mesmo veio no dia seguinte. Acordei, me olhei no espelho e não acreditei: parecia que eu teinha feito uma plástica, minha pele estava esticada, o formato do rosto recuperado, havia uma volumetria na face que eu já tinha perdido há alguns anos. Ao longo da primeira semana, o inchaço cedeu e eu percebi a pele com aspecto mais saudável. Já faz seis meses que eu fiz o procedimento e continuo com o aspecto rejuvenescido, parece que dei um nó no tempo de uns 5 anos, um resultado inesperado para um tratamento minimamente invasivo” – Tatiana Bonumá, jornalista especializada em beleza e redatora de Beauty Tudo.

Skincare após os fios
Na semana que se segue ao procedimento recomenda-se usar hidratantes faciais com efeito calmante e produtos com formulação suave, de preferência para peles sensíveis.

produtos de skincare para peles sensíveis (Foto: Divulgação)

produtos de skincare para peles sensíveis (Foto: Divulgação)

1. Espuma de Limpeza Sensitive Skin, Simple Organic, R$ 85
2. Solução Micelar Sensibio H2O, Bioderma, R$ 74,90 
3. Acqua Biohidratante Chronos, Natura, R$ 128,50
4. Loção em gel Calmante para Olhos e Lábios Aloe Vera, The Body Shop, R$ 82 
5. Sérum para Olhos Eye Care Oil, Care Natural Beauty, R$ 189
6. Protetor Solar Aqua Rich, Bioré, 67,99
7. Água Sensi Skin, Ellementti Dermocosméticos, R$ 118



Fonte