Conta-gotas – Saúde – Estado de Minas

0
24

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

5 dicas para manter o corpo saudável

(foto: Fotos: Pixabay)

À medida que envelhecemos, é comum que a força física diminua e alterações no quadro de saúde aconteçam. Por isso, manter-se em forma não deve ser apenas por estética, mas por bem-estar e saúde. Camila Monteiro, nutricionista parceira da Konjac Massa MF, dá cinco dicas de como perder peso e manter o corpo saudável. Confira:

Tenha uma alimentação balanceada: evite o consumo de alimentos gordurosos, ricos em sal e açúcar. Isso colabora para a perda de massa corporal

Não pule refeições: café da manhã, almoço e jantar são as principais refeições do dia. E, quando alguma dessas etapas não é respeitada, o corpo fica com carência nutricional

Pratique atividade física: os exercícios físicos controlam a pressão arterial, elevam a imunidade, melhoram o condicionamento e diminuem o risco de infarto e diabetes

Beba água: a hidratação é essencial para o funcionamento do organismo, pois elimina secreções, toxinas e transporta nutrientes pelo corpo

Durma bem: as horas de sono são essenciais para repor energias, reparar o tecido muscular e manter a pele saudável

Flerte em excesso pode indicar distúrbio

A expressão Don Juan se refere àqueles que gostam de conquistar outras pessoas, fazendo alusão ao mito de um sedutor, o Don Juan. O que muita gente não sabe é que a expressão pode ser considerada síndrome. Sônia Eustáquia, psicóloga e sexóloga, diz que “a principal característica do problema é a compulsão por seduzir em um jogo repetitivo e sem propósito”. Uma pessoa com a síndrome de Don Juan é egocêntrica, vê a conquista como um jogo e quando conquista, perde o interesse. A síndrome pode atingir mulheres e homens. Os motivos para a síndrome de Don Juan são vários e podem estar relacionados a transtornos. Baixa autoestima, traumas e características narcisistas podem causar o donjuanismo. Além disso, estudos revelam que a síndrome pode ter início na puberdade. Como alternativa de tratamento, é indicada a psicoterapia. A Síndrome de Don Juan tem cura e, se tratada, o indivíduo consegue ter relação amorosa duradoura, verdadeira e emocionante.

Síndrome do intestino irritável

A síndrome do intestino irritável afeta 20% da população adulta brasileira, mas muitas pessoas vivem com o desconforto sem saber. Com sintomas como dores, inchaço abdominal e episódios de constipação e diarreia, o distúrbio não é doença, mas traz perda na qualidade de vida. Após o diagnóstico, pode-se amenizar sintomas por meio de mudanças nos hábitos, principalmente na alimentação. “Já que a síndrome pode se agravar por gatilhos emocionais, são indicadas abordagens psicológicas”, pontua a nutricionista ortomolecular Claudia Luz, da Via Farma. A desordem também pode estar ligada a fatores genéticos e desequilíbrios na flora intestinal. Por isso, o tratamento deve ser multidisciplinar, inclusive com nutricionista. “Estudos apontam que dietas ricas em alimentos fermentáveis pioram os quadros. Por isso, uma das estratégias é reduzir o consumo. No plano alimentar, é preciso priorizar opções naturais, dando atenção à hidratação”. Suplementação de probióticos é indicada.

Glaucoma, vilão silencioso

Imagine uma doença que acomete 76 milhões de pessoas no planeta, e metade delas não foi diagnosticada ou tratada e corre o risco de perder a visão. É o glaucoma. Na maioria dos casos, assintomático no início, a perda gradual da visão começa partir da periferia do olho até chegar ao campo central. “A pessoa com glaucoma pode enxergar muito bem à sua frente, até mesmo letras pequenas, porém, deixa de visualizar um grande objeto passando em seu lado, até mesmo um carro. Por isso, uma avaliação oftalmológica periódica, principalmente a partir dos 40 anos, é fundamental para o diagnóstico precoce e início imediato de tratamento”, explica Cristiano Caixeta, membro da Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG) e vice-presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). Uma vez comprometida pelo glaucoma, a visão não é restaurada ou recuperada. Entretanto, com tratamento, a doença pode ter sua progressão estabilizada. A meta do tratamento é controlar a pressão intraocular por meio de medicamentos específicos, como colírios de uso contínuo, laser ou cirurgia. Há fatores de risco a serem considerados e que devem antecipar a procura por um oftalmologista, como idade avançada, pressão intraocular elevada, diabetes, histórico familiar, entre outros.

Como se prevenir dos culotes?

É comum pessoas reclamarem de uma gordurinha a mais na cintura, barriga e bumbum. São os culotes, que podem acometer mulheres e homens. Os fatores que motivam o aparecimento das gorduras localizadas são hormonais, genéticos e alimentação, explica Camila Katsuragi, fisioterapeuta. A boa notícia é que é possível prevenir e tratar o problema. “A alimentação saudável e a prática de atividades físicas são essenciais para prevenir os culotes. Agora, para quem já tem, os tratamentos disponíveis são a radiofrequência, a criolipólise e a drenagem linfática.” Outra opção de tratamento é a lipocavitação. E engana-se quem pensa que o culote tem a ver só com aparência. Ele pode indicar problemas de saúde, como diabetes, hipertensão e redução dos níveis de testosterona nos homens. Mesmo com o tratamento, é importante que o indivíduo evite o consumo de alimentos gordurosos e pratique atividades físicas.

Inatividade é fator de risco

Com a pandemia de COVID-19, prevenção é palavra de ordem. E as atividades físicas regulares são aliadas no combate ao agravamento da doença. A conclusão é de um estudo publicado pelo “British Journal of Sports Medicine”. Os resultados da pesquisa mostraram que pessoas sedentárias há pelo menos dois anos antes da pandemia tinham maior risco de desenvolver quadros graves da doença, em comparação às que praticavam exercícios físicos. O estudo também apontou que a inatividade é um fator de risco maior do que outras comorbidades. Portanto, é importante manter os exercícios físicos com segurança. Confira dicas do ortopedista e médico do esporte Pedro Baches, da Clínica SO.U:

Mantenha alimentação saudável e consumo adequado de água

Escolha um local da casa espaçoso e ventilado

Use roupas apropriadas

Opte por exercícios já conhecidos

Se possível, consulte um profissional para auxiliá-lo remotamente



Fonte