Corpo de mulher morta aps fazer cirurgia plstica em BH exumado – Gerais

0
38

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
Lidiane Aparecida tinha 39 anos e fez abdominoplastia e lipoaspirao (foto: Reproduo/ Redes Sociais)

O corpo de Lidiane Aparecida Fernandes Oliveira, de 39 anos, que morreu na tera-feira (7/12), aps fazer uma abdominoplastia e lipoaspirao em uma clnica de Belo Horizonte, foi exumado nesta quinta-feira (9/12).

 

 

A Polcia Civil de Minas Gerais afirmou que o procedimento “requerido como medida cautelar pela autoridade policial que preside o Inqurito Policial, integra as atividades de polcia judiciria em andamento.”

 

 

O rgo, porm, no divulgou nenhum outro detalhe da investigao.

 

Apurao da morte 

Alm da Polcia Civil, o Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM-MG) tambm investiga a morte de Lidiane. 

As cirurgias ocorreram na manh de segunda-feira (6/12). Lidiane estava acompanhada da irm. Segundo o marido, de 36 anos, ele deixou a mulher no Instituto Mineiro de Obesidade por volta das 7h20. 

A operao comeou s 8h30 e terminou s 13h. Em seguida, a mulher foi encaminhada para o quarto e comeou a se queixar de dores e falta de ar. Lidiane foi medicada vrias vezes, segundo o Boletim de Ocorrncia, mas em determinado momento, avisou a irm que estava com dificuldade de respirar.

A irm, ento, acionou o boto de emergncia do quarto e saiu para chamar socorro. Quando voltou, a mulher j estava desacordada. A equipe tentou fazer massagens para reanim-la, e chamou o Servio de Atendimento Mvel de Urgncia (SAMU).

Quando a ambulncia chegou, Lidiane foi intubada e levada para o Hospital Vera Cruz, j que a clnica no tinha Centro de Terapia Intensiva (CTI). No local, o procedimento de reanimao continuou, mas sem sucesso. Ela deu entrada s 20h25 e morreu s 1h20, de embolia pulmonar.

polcia, o mdico responsvel pela cirurgia, afirmou no ser funcionrio da clnica e s utilizar o espao. Segundo o BO, ele disse que a operao transcorreu bem, comeando s 8h30 e terminando 13h. A mulher foi levada para o quarto e ficou sob os cuidados da clnica, que possui mdicos, enfermeiros e suporte bsico.

 

Lidiane era funcionria da Prefeitura de Brumadinho. Ela atuava como agente operacional e fazia parte da equipe de higienizao do Complexo Hospitalar Valdemar de Assis Barcelos.

A operao foi paga com um valor de entrada e o restante aps o procedimento, que custou R$ 20.500 no total.

 

Ela foi enterrada na quarta-feira (8/12), no Cemitrio das Aranhas, em Brumadinho.

 

*Estagiria sob superviso  do subeditor Joo Renato Faria





Fonte