Debate à Prefeitura de Maceió reúne sete candidatos | Eleições 2020 em Alagoas

    0
    10

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    O candidato Cícero Almeida (DC) foi convidado para participar mas não compareceu. Os candidatos Corintho Campelo (PMN) e Lenilda Luna (UP) não foram convidados porque seus partidos não têm representação na Câmara.

    A TV Mar informou que seguiu a orientação de que o número de deputados e senadores de cada legenda é critério oficial para participação de candidatos nos debates eleitorais das eleições municipais de 2020.

    Devido à pandemia do coronavírus, o evento não contou com plateia. A emissora também estipulou que os candidatos permanecessem com a máscara durante o debate, só podendo retirá-la na hora de responder às perguntas. O número de assessores no estúdio foi limitado a dois para cada candidato.

    O debate foi dividido em cinco blocos:

    • Primeiro bloco: temas de livre escolha do candidato que faz a pergunta.
    • Segundo bloco: temas de livre escolha do candidato que faz a pergunta.
    • Terceiro bloco: temas sorteados ao vivo pelo mediador e o candidato escolheu o adversário que para responder sobre o tema sorteado.
    • Quarto bloco: temas voltam a ser de livre escolha do candidato que fez a pergunta.
    • Quinto bloco: considerações finais.

    No primeiro bloco, seguindo ordem de sorteio, o primeiro a perguntar foi Alfredo Gaspar que questionou Davi Davino Filho sobre transparência à frente da prefeitura de Maceió citando seu mandato como deputado estadual. O candidato respondeu que nunca se envolveu em escândalos. “Meu mandato de deputado estadual sempre foi muito atuante, eu sempre trabalhei muito pelo povo de Maceió”. Durante a réplica, Alfredo Gaspar falou sobre responsabilidade com o dinheiro público. “Quero uma gestão transparente, quero que todos conheçam para onde vai o dinheiro público”.

    Em seguida foi a vez de Valéria Correia fazer sua pergunta e ela começou falando sobre sua experiência como gestora universitária. “Tenho experiência em gestão com êxito como entreguei, agora em janeiro, a Universidade Federal de Alagoas com os melhores índices educacionais alcançados”. Ela escolheu Alfredo Gaspar e o questionou sobre o que faria pela saúde do município. O candidato respondeu dizendo que a atual gestão recebeu o setor com déficit. E completou dizendo que fará “a maior revolução da saúde de Maceió na nossa gestão”. Disse que pretende zerar a fila de especialidades fazendo parceria com o governo do estado.

    Depois foi a vez de Josan Leite perguntar e ele escolheu JHC para fazer seu questionamento. “Um dos grande problemas que a gente tem na nossa cidade é exatamente a folha inchada”, afirmou o candidato perguntando sobre como JHC pretende resolver o problema, citando nepotismo. Ele respondeu dizendo que conseguiu cortar gastos enquanto deputado federal. “E é isso que nós precisamos fazer aqui na prefeitura de Maceió. A prefeitura de Maceió consegue andar com as próprias pernas e não dá mais para continuarmos com as velhas práticas”.

    Seguindo a ordem de sorteio, Ricardo Barbosa escolheu Cícero Filho a quem pediu opinião sobre os apoios políticos recebidos por outros candidatos. “As três candidaturas que estão à frente das pesquisas são vinculadas ao passado”. O candidato respondeu falando que as mudanças devem começar pelo fim das desigualdades na capital. “Pessoas tão perto geograficamente mas tão distantes sócio e economicamente. E a gente precisa combater justamente essa desigualdade”.

    Cícero Filho escolheu Ricardo Barbosa para falar sobre educação. “A educação de Maceió precisa avançar muito em que pesa o esforço dos nossos professores, dos nossos profissionais que dão muito duro mas infelizmente não são valorizados”. Ele questionou como oferecer uma educação transformadora e Ricardo Barbosa respondeu afirmando que “a educação precisa de uma revolução mas a primeira coisa que precisa é mínima, é ser respeitada, é ser vista como uma prioridade”.

    Ainda seguindo a ordem de sorteio, Davi Davino Filho também escolheu o tema educação para debater com Valéria Correia. “A gente não tem creche, a gente tem uma pré escola totalmente deficiente”. Ele questionou como mudar a educação com os recursos atuais. A candidata lembrou novamente sua gestão à frente da Universidade e disse que “o nosso compromisso é com a educação pública de Maceió. A primeira infância é bastante importante e o déficit de creche é enorme”, e citou itens de seu plano de governo.

    Por último JHC questionou Josan Leite sobre o corte na aposentadoria dos servidores. “Você concorda?” perguntou. O candidato rebateu a pergunta com afirmações sobre apoios políticos. “O senhor tem que avaliar com clareza para o que está acontecendo no momento político, onde a maioria das pessoas quer sim uma mudança verdadeira”.

    No segundo bloco, os candidatos fizeram perguntas entre si, com temas livres e abordaram questões como saúde, educação, tecnologia e transporte público.

    No terceiro bloco os candidatos responderam sobre temas sorteados ao vivo pelo mediador: mobilidade urbana, meio ambiente, infraestrutura e saneamento, segurança, turismo, funcionalismo público e resíduos sólidos. Além do sorteio dos temas também houve sorteio da ordem dos candidatos que faziam as perguntas e eles puderam escolher a quem direcionar seus questionamentos sem que houvesse repetição.

    No quarto bloco, os temas voltaram a ser livres. Os candidatos levantaram questões como uso da tecnologia em prol da cidade, capacidade de investimento, melhorias na saúde pública, concurso público e aumento do quadro de funcionalismo, índices de violência na capital e investimentos na educação.

    Ao final, cada um teve oportunidade de fazer as considerações finais em ordem de sorteio.

    Quem começou foi Josan Leite que reforçou sua profissão como engenheiro civil e especialista em infraestrutura. “Temos a única candidatura que pode levar a técnica, o profissionalismo para administrar Maceió. Tenho também a cultura do respeito às pessoas, a cultura do respeito aos nosso funcionários. Tenho também o conhecimento da tecnologia para melhorar a máquina pública para que a gente possa ter o melhor serviço e também reduzir impostos. Vamos fazer isso porque temos competência e independência”.

    Em seguida foi a vez de Davi Davino Filho fazer suas considerações. “Vocês tiveram oportunidade em todo processo eleitoral de me conhecer um pouco mais. Sabe que desde os meus 17 anos eu tive a oportunidade, através da Funbrasil, de conhecer a realidade da nossa gente. Conhecer cada bairro da nossa cidade, cada grota, cada rua. E conheci uma Maceió difícil, uma Maceió dura e eu quero trabalhar para essas pessoas. Eu quero fazer a diferença nessas pessoas”.

    Alfredo Gaspar disse: “tomei uma decisão muito difícil na minha vida. Deixei a minha carreira no Ministério Público para dar um passo adiante, mantendo meus princípios. Eu quero cuidar da minha cidade, da cidade que nasci, constitui família, fiz concurso público, defendi o povo. Eu estou dando esse passo mas mantendo a minha autonomia e a minha independência. Eu tenho apoios fortes, é verdade, mas apoios que vão me ajudar a superar os obstáculos. Mas na direção do meu cargo, conduzindo a minha cidade vai estar o mesmo Alfredo de sempre”.

    Ricardo Barbosa afirmou que as propostas foram voltadas para a mudança. “A única candidatura que representa a verdadeira mudança é a candidatura do 13, é a candidatura do PT, é a candidatura que quer de fato impor uma solução de continuidade e acabar com essa maneira de gestão pública que a prefeitura de Maceió atual tem a oferecer ao povo. Eu quero que no dia 15 vocês vão com a consciência do voto útil na mudança”.

    Cícero Filho pediu para que o eleitor reflita em quem vai votar. “Eleição não é um jogo que se aposta em quem possivelmente via vencer. Eleição é coisa série. A nossa vida, a vida dos nossos filhos dependem disso. A gente precisa mudar o rumo aqui de Maceió. Eu não sou político carreirista, nunca fui. Sempre dei muito duro, trabalhei pra caramba para poder chegar aqui e tenho muito orgulho de poder estar aqui, de poder apresentar minhas propostas, de poder dizer que eu penso numa Maceió diferente”.

    Em seguida foi a vez de Valéria Correia fazer suas considerações finais. “Quero me dirigir a você que está indeciso, que não crê mais na política. Há esperança. Podemos fazer a mudança que Maceió necessita. Eu estou agora, na última pesquisa, em quarto lugar. Com um partido com fundo partidário muito pequeno e três homens da velha política que se digladiaram aqui nesse espaço. Eu sou a alternativa popular”.

    Por fim, JHC fez suas considerações. “Eu tenho independência e experiência. passei os últimos anos me preparando para ser o melhor prefeito de Maceió. Me coloco à disposição para que, nas redes sociais, nós continuemos esse debate para a gente poder defender a mudança de verdade de Maceió. Na saúde, na educação, na geração de emprego e renda, no nosso transporte público. Que Deus possa abençoar grandemente a cada família que está nos acompanhando, a cada cidadão, a cada cidadão. A porta que Deus abre, ninguém fecha”.

    Entrevistas com candidatos à prefeitura de Maceió



    Fonte



    Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


    Lima & Santana Propaganda