Enem: Professores dão dicas para preparação na reta final

0
17

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Amanda Karolyne
[email protected]

A data do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está cada vez mais próxima. As provas serão realizadas nos dias 21 e 28 de novembro e esse momento é crucial para que os estudantes revisem os conteúdos aprendidos. Alguns professores de redação e matemática organizaram orientações para esse momento crucial.

Professor de matemática, Leonardo Peixoto, conhecido como Léo Jabá, deu algumas dicas sobre essa reta final de preparação. E para quem não se dedicou muito aos estudos, para ele ainda dá tempo para que a pessoa revise também. “Porque ela já estudou em algum momento, então se ela usar a semana para revisão, e se for bem realizada pode ser que volte a lembrar alguns conhecimentos que ficaram guardados ao longo do tempo”, frisa. Ele compara a preparação para o Enem com a de um atleta que treina há quatro anos para uma olimpíada. “E dentro de uma modalidade, às vezes que não dura vinte segundos, então a prova do Enem é isso”, diz. “Você se preparou ao longo do ensino médio e agora é a hora de conquistar seu sonho”, finaliza coordenador do cursinho 4k Educacional que também leciona no Colégio Objetivo.

De olho na prova de redação, outra grande temida pelos estudantes, responsável por um quinto da nota total do Enem, o professor e escritor Salvador Borges, de 37 anos, realizará dia 20 de novembro, um aulão preparatório com outros professores de atualidades, Thales Caixeta e Professor Klaus. O projeto é aberto para a comunidade, e o estudante que quiser comparecer deve levar 1kg de alimento não perecível. “Aproveitando o momento para pedir esses alimentos para doarmos para a comunidade”, informa Salvador.

Todos são professores do Colégio CCI, que fica na Samambaia Norte. O aulão acontecerá no espaço da escola, e será de dicas e direcionamento sobre a redação e as questões de atualidades. E aqui, ele já adianta que uma das dicas para quem vai realizar a prova, é que os temas de redação costumam ter a ver com tudo que é atrelado aos direitos e deveres. “Então minha primeira dica é que os alunos confiram os artigos 5º e 6º da Constituição Federal”, aponta. Ele fala que o tema da redação não é escolhido perto da prova, então o aluno tem que se atentar para tudo o que aconteceu durante o ano. Outra dica que ele dá, é para que os alunos saibam como defender o tema proposto.

Para começar, ele indica que na introdução o aluno deve apresentar uma citação, apresentação do tema, tese e duas causas. “As duas causas são retomadas no desenvolvimento da redação, relacionadas e explicadas”, afirma. Ele traz um conceito que trabalha em sala de aula, chamado de 3 R’s, em que ele ainda traz um quarto R, que são: reportar, retomar, resolver e relacionar. Ele explica que em cada parágrafo é obrigatório que tenha uma citação, então o aluno precisa relacionar as citações com a sua linha de pensamento e com as áreas de conhecimento. Para ele, é fundamental que para o repertório de conhecimento, o aluno leia. ‘Coisa que infelizmente o aluno não faz muito”, diz.

“Não deixe a redação por último”

E para além disso, o professor Salvador Borges aponta que a conclusão da redação deve responder às seguintes perguntas sobre o tema proposto: quem resolve; como resolve; o que resolve; e para quê.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Outra coisa, nunca deixe a redação por último. Faça ou no começo, ou no meio da prova”, frisa. Ele conta que às vezes no meio da prova você acaba encontrando uma citação que vai te ajudar na redação e então você pode fazer com que ela fique melhor. “E também, se você deixar para fazer a redação por último, pode criar um bloqueio criativo por conta do cansaço”, indica. Ele fala para que os alunos se atentem ao tamanho da letra, as canetas esferográficas transparentes, evite rasuras e marcas identificadoras, e se atentem para a quantidade de linhas. Para evitar que tenham a prova zerada, ele explica que é essencial que o aluno produza de 25 a 30 linhas de texto. O professor destaca que deve se manter a divisão dos parágrafos com períodos curtos e com marcadores textuais, como: “Dessa forma”, “A fim de”, “Sendo assim” e etc.

Todo cuidado é pouco

Ele confidencia que as pessoas ficariam chocadas se soubessem que os alunos ainda esquecem que não pode levar calculadora ou lápis para a prova. “Ou até que deixem o celular tocar no meio da prova”, cita Salvador.

O professor finaliza dizendo que se fosse apostar em um tema para a redação desse ano, seria algo sobre as redes sociais e os jovens. “A cultura do cancelamento, os algoritmos e manipulação de dados”, cita. O professor e escritor, lançou um livro em 2015 chamado Redação Nota 1000, e em 2022 vai lançar mais um chamado Resolução Nota 1000, onde comenta sobre 300 questões dos maiores concursos de todo o país. Com os aulões voltados para redação e sua abordagem em sala de aula, ele afirma que nos últimos anos a média de pontuação dos alunos do Colégio CCI aumentou nos últimos anos. Em 2019 a média foi de 744 pontos, eles ainda estão avaliando a média de 2020.
Descontração e dedicação lado a lado
O professor Léo Jabá coordena o projeto Enem Com Pizza, que surgiu no período da pandemia. “Eu estava em casa pensando em fazer algo para suprir a necessidade dos alunos de escolas públicas”, conta. “Com isso, decidi oferecer apoio gravando aulas de matemática e postando no Youtube”, continua. Para pôr o Enem Com Pizza em prática, conversou com um amigo que tinha uma pizzaria, para ver se ele podia oferecer o rodízio. Depois ele procurou outros professores para participarem da empreitada. “O projeto tem cunho social, os professores são voluntários, o valor do ingresso cobre apenas os custos da pizzaria. Para a estrutura, contamos com alguns parceiros.”

“Os alunos da rede pública não tiveram aulas quando tudo começou, as escolas particulares conseguiram ministrar essas aulas de alguma forma”, destaca. “Então eu fiz contato com empresários para poder abraçar o projeto, que antes tinha um custo mas uns apoiadores agraciaram o projeto para que os alunos pudessem participar.” Para os alunos da rede pública poderem participar, é realizado um sorteio na rede social do professor.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Agora é a terceira edição do aulão, que no ano passado teve sua estreia e no meio do ano foi realizada a edição do Enem Com Pizza voltado para o Pas. Léo explica que o aulão é como um rodízio normal com aula simultânea, parecido quando você vai a uma pizzaria com um show de sertanejo. “Você não pede para parar o sertanejo para poder comer. Então enquanto está rolando o rodízio, está rolando a aula”, comenta. Para ele, o aluno vem com carga pesada do ano, e a prova é o desafio de uma vida, para botar todo conhecimento em cima do futuro de cada estudante que estará aplicando a prova.

São aulas de cinquenta minutos em que os professores dão dicas na véspera da prova, através de música, paródias e brincadeiras para a hora da prova. “A ideia é levar descontração e ensino ao mesmo tempo”, aponta. Léo conta que a maior dificuldade que o aluno encontra a respeito da matemática, é que ela não é aplicada no dia a dia dele, então a aula ali na pizzaria, traz essa aproximação com a matéria. O professor acredita que nos dias das semanas que antecedem o Enem, é hora do estudante revisar tudo que estudou ao longo do ano. “Isso de segunda a sexta, porque no sábado é dia de relaxar.”

Para participar do Enem com Pizza, o estudante deverá pagar R$ 45 e terá direito a quatro horas de aulas de matemática, química, redação, texto, história, geografia e línguas, com professores de escolas particulares do DF e alguns bem conhecidos dos estudantes. O valor dá direito à lista de exercícios e rodízio de pizza com refrigerante.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Fonte