Gestantes e puérperas com Covid-19 terão acompanhamento especial em Santos | Mais Saúde

0
10

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Essas mulheres devem procurar a policlínica do bairro, de segunda a sexta-feira, das 14h às 16h, para atendimento médico. As que apresentarem sintomas moderados ou graves devem seguir diretamente para o Complexo Hospitalar dos Estivadores.

Os sintomas da Covid-19 são febre, tosse, perda do paladar e do olfato, dor muscular, dor de cabeça, dor de garganta, diarreia, náusea, vômito e, em casos mais severos, saturação de oxigênio inferior a 95% e falta de ar.

Na avaliação médica, será colhido exame (PCR), caso a mulher esteja entre o 1º e o 8º dia de sintomas. As que apresentarem risco maior de complicações poderão ser internadas em leito de enfermaria ou UTI. Quem não precisar de internação, passará a ser acompanhada a cada 48 horas no ambulatório de Covid-19 localizado na Coordenadoria de Controle de Doenças Infectocontagiosas (CCDI).

Para todas as gestantes confirmadas com Covid-19 será solicitada ultrassonografia com doppler na rotina de pré-natal a partir de 26 semanas de gestação. A doença será registrada na caderneta da gestante, que deve seguir normalmente com a rotina de pré-natal na policlínica ou no Instituto da Mulher e Gestante após o período de isolamento.

O objetivo do acompanhamento mais específico é diagnosticar precocemente a Covid-19, prestar assistência adequada, transferir para um hospital de referência e diminuir a mortalidade maternoinfantil.

Em Santos, até o dia 7 de abril, 97 gestantes foram cadastradas com suspeita de Covid-19 e 69% tiveram resultado positivo para a doença. Destas, 31 necessitaram de internação, tanto em hospitais públicos quanto particulares. Foram registrados dois óbitos maternos de mulheres residentes em Santos em virtude da doença.

Segundo Adriano Catapreta, secretário municipal de Saúde, as gestantes com Covid-19 têm risco de duas a três vezes maior de ter parto prematuro. Além disso, a doença pode ser agressiva neste momento da vida da mulher em que naturalmente ela está com a imunidade mais baixa.



Fonte