Homens também fazem plástica nas mamas

0
215

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Engana-se quem pensa que redução das mamas é uma exclusividade do mundo feminino. Alguns homens também precisam passar por esse tipo de procedimento. A ginecomastia é o crescimento excessivo das glândulas mamárias em homens. Esse problema é mais comum do que se imagina, pois segundo estimativas a ginecomastia pode atingir cerca de 40% dos homens. Para solucionar esse problema é indicada a realização da cirurgia de ginecomastia.

De acordo com o cirurgião plástico Davis Barbosa, a ginecomastia pode resultar de uma descompensação hormonal, aumento de peso ou pode ser de uma causa indefinida. Ele explica que no início da adolescência masculina há um aumento normal do tamanho da glândula mamária, o qual não deve ser tratado. A cirurgia costuma estar indicada após os 15 anos, aproximadamente. “A condição que causou a ginecomastia deve ser tratada antes: correção de hormônios descompensados ou controle do peso. Quando a correção destas causas não resolve o aumento mamário e o paciente deseja a correção, está indicada a cirurgia”, ressalta.

Segundo o especialista, quando se trata apenas de tecido gorduroso e não há excesso de pele, é realizada apenas a lipoaspiração, através de dois pequenos cortes de aproximadamente 1cm na região mamária. “Quando há excesso de glândula ou de pele, é necessária a retirada deste excesso através de um corte ao redor da aréola. A cirurgia varia de duas a três horas de duração e a alta pode ocorrer no mesmo dia ou no dia seguinte”, explica.

O cirurgião ainda afirma que a recuperação normalmente envolve pouca ou nenhuma dor. É necessário se afastar do trabalho por, pelo menos, duas semanas. Nos primeiros três meses será utilizada uma malha compressiva para o tórax. Atividades físicas moderadas serão retomadas após um mês e as intensas, após dois meses. “Um resultado inicial já pode ser observado no pós-operatório imediato, entretanto, apenas a partir de três meses é que se observa uma real mudança no formato da região. As cicatrizes podem levar até um anos para adquirir seu aspecto final”, acrescenta Davis.



Fonte