Jovem arrecada milhares de livros para doação com projeto próprio que iniciou no litoral de SP | Santos e Região

    0
    29

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    Fernanda Chasseurs, de 20 anos, moradora de São Vicente, no litoral de São Paulo, criou o Projeto Educalizando, e conseguiu arrecadar mais de 1.700 livros para doar a entidades desfavorecidas financeiramente da região da Baixada Santista. Em entrevista ao g1, a jovem relatou que possui ambições maiores para a iniciativa, que já chegou aos estados do Rio de Janeiro e Ceará.

    “Acesso à educação é um direito humano básico, mas saber apenas as matérias ensinadas nas escolas não é suficiente”, comenta a ativista.

    Formada no Ensino Médio em escola pública, Fernanda conta que encerrou o ciclo de educação escolar sem saber qual carreira seguir. Em 2020, a jovem começou um voluntariado na ONG Fly Educação, onde conheceu a educação socioemocional.

    Fernanda Chasseurs distribuiu livros arrecadados para nove instituições da Baixada Santista — Foto: Arquivo Pessoal

    Interessada no assunto, ela descobriu gostos que desconhecia. “Eu vi que gosto de ministrar reuniões. Nunca que, no Ensino Médio, eu me imaginaria falando em público”, relata. Assim, ela percebeu o quanto ter conhecimento de diversos assuntos pode influenciar na vida de uma pessoa.

    “Se o jovem não sabe as possibilidades que existem, como ele vai poder sonhar com aquilo?”, indaga a ativista.

    O Projeto Educalizando surgiu a partir desse pensamento. A ideia inicial era arrecadar livros para doar a pessoas em situação de vulnerabilidade social. Em um mês, o projeto arrecadou 1.750 livros na Baixada Santista.

    Livros arrecadados na Baixada Santista pelo Projeto Educalizando no período de um mês — Foto: Arquivo Pessoal

    O projeto teve o início oficial em agosto, e a divulgação dele era feita pelas redes sociais. Dessa forma, alunos do grêmio estudantil da Escola Municipal Maria Luiza Alonso Silva, em São Vicente, conheceram a campanha. Segundo a diretora da unidade, Maria Cecília Sousa de Alfredo, as crianças usaram as mídias sociais para ampliar a campanha e conseguir mais doações.

    “Eles gostaram da ideia, e nós também, porque é uma iniciativa que objetiva combater a pobreza intelectual de crianças que vivem em vulnerabilidade”, diz a diretora.

    A professora Thatiana Antunes Ferreira convive com o grêmio estudantil da escola e comentou que o grupo conseguiu arrecadar aproximadamente 200 livros. “Além de pedirem doações nas classes e doarem livros que tinham, eles divulgaram nas redes sociais e em grupos de WhatsApp a iniciativa”, complementa.

    Alunos da Escola Municipal Maria Luiza Alonso Silva e Fernanda ao lado de caixa para arrecadação de livros — Foto: Arquivo pessoal

    Fernanda comenta que, em paralelo ao projeto na Baixada Santista, uma amiga levou o Educalizando para o Rio de Janeiro. No meio tempo entre o início do projeto, em agosto, e a primeira leva de entregas de doações, em setembro, a iniciativa também atingiu uma dupla de amigas no Ceará, que iniciou mais uma filial do projeto. Dessa forma, em um mês, foram arrecadados mais de 3.500 livros.

    A jovem comenta que possui planos ainda maiores para o Educalizando. Ela pretende expandir o projeto para realizar palestras a crianças e jovens que vivem em situação de vulnerabilidade.

    O objetivo de Fernanda é abrir o olhar das novas gerações para possibilidades profissionais que elas podem seguir, que não costumam ser compartilhadas nas escolas. “Quando comecei a ter acesso a essas oportunidades, minha vida mudou completamente. Quero que outras pessoas também possam sentir essa sensação”, finaliza.

    Fernanda distribuindo livros arrecadados no projeto na Baixada Santista para entidades da região — Foto: Arquivo pessoal

    VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos



    Fonte