Justiça do RS acolhe denúncia e cirurgião plástico vira réu por crimes sexuais contra 18 mulheres | Rio Grande do Sul

0
26

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

O advogado Diego Cabral disse que reitera a confiança na inocência de seu cliente e que “apresentará provas fundamentadas para trazer a absolvição do Dr Klaus, que em nenhum momento teve qualquer tipo de atitude ilícita em suas consulta”. Klaus está preso preventivamente desde 16 de julho.

“A defesa repudia a injustiça do Poder Judiciário em mantê-lo segregado, pois trata-se de médico com mais de 30 anos de estudo para melhorar a autoestima de seus pacientes”, diz o advogado. (Leia a nota na íntegra ao fim desta reportagem)

Klaus Brodbeck foi denunciado pelo MP-RS por crimes contra 18 mulheres — Foto: Reprodução/RBS TV

De acordo com a promotora Claudia Regina Lenz Rosa, que protocolou a denúncia junto à 2ª Vara Criminal de Porto Alegre, ele teria cometido ao menos 34 vezes os crimes de estupro, violação sexual mediante fraude, atentado violento ao pudor – vigente à época de alguns fatos –, importunação sexual e assédio sexual.

“As vítimas o procuravam por ser um especialista em bioplastia de glúteos. Elas chegavam no consultório e, diante de uma sumidade na área da cirurgia plástica, não imaginavam que aquele médico respeitado, com tantas clientes bonitas, abusaria delas. Pensavam estar imaginando coisas. Muitas vezes ele passava a mão nas partes íntimas. Em outras, o ato ficava explícito, como quando, por exemplo, ele propunha sexo como forma de pagamento e, muitas vezes, estuprava diante da negativa”, afirma a promotora.

Segundo ela, a denúncia se baseou em 10 inquéritos policiais da 1ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher da Capital. Foram ouvidas mais de 140 pessoas. Dessas, 80 eram vítimas dos crimes.

“Afora os crimes abarcados na denúncia, quatro ocorrências vitimando quatro vítimas adolescentes foram encaminhados para a 6ª Vara Criminal do Foro Central especializada na atuação de crimes sexuais contra criança e adolescente. Outras 58 foram ouvidas e, apesar de apresentarem indícios de autoria e materialidade, os fatos já estavam abarcados pela prescrição ou pelo direito de representação, motivo pelo qual não estão sendo denunciados”, acrescenta Claudia.

O médico também sofreu uma interdição cautelar total e temporária por determinação do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers). Assim, enquanto durar a sindicância, no prazo máximo de 180 dias, ele não pode exercer a medicina.

Klaus Brodbeck foi preso preventivamente em Gramado e transferido para Porto Alegre — Foto: Reprodução/RBS TV

“A defesa reitera a confiança na inocência do Dr. Klaus Brodbeck, este que foi um dos fundadores do projeto para trabalhos beneficentes de reconstrução de mama, após retirada de tumores e que recebe com indignação os termos da denúncia, pois nega enfaticamente as acusações. A defesa repudia a injustiça do Poder Judiciário em mantê-lo segregado, pois trata-se de médico com mais de 30 anos de estudo para melhorar a autoestima de seus pacientes e apresentará provas fundamentadas para trazer a absolvição do Dr. Klaus, que em nenhum momento teve qualquer tipo de atitude ilícita em suas consultas. Por fim ao contrário do que informa a denúncia o médico recebia propostas de influenciadoras digitais, para divulgação de seus trabalhos em redes sociais em troca de cirurgias, o que já ficou provado através de declarações e depoimentos, confirmando assim o que já foi argumentado pela defesa. Diego da Silveira Cabral, advogado.”



Fonte