Kelly Key revela que psoríase deixou corpo coberto por lesões. Saiba mais

0
9

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Kelly Key revelou ter tomado vacina contra a Covid-19 e contou que entrou no grupo prioritário por tomar um remédio imunossupressor contra a psoríase. A cantora, dona de um estilo de vida saudável, revelou, no entanto, que durante um tempo sofreu com as lesões causadas pela doença de pele. “As lesões tomaram mais de 50% da minha pele: pernas, costas, cotovelos… A crise foi realmente séria”, lamentou, em entrevista ao caderno “Ela”, do jornal “O Globo”.

Segundo a mãe de Suzanna Freitas, cuja semelhança entre elas impressiona, a doença começou a se manifestar quando ela ainda morava em Portugal. “Apareceram as primeiras lesões na pele, que ficaram mais intensas depois que tive Covid-19, em dezembro do ano passado. Fiz todos os exames, inclusive uma biópsia. Com o resultado em mãos, começamos a tratar a psoríase, uma doença autoimune. Mas sem muito sucesso”, contou.

Já de volta ao Brasil, Kelly tentou outro tratamento, também sem o resultado esperado, e precisou recorrer a um imunossupressor. “O remédio me salvou e hoje as lesões estão cicatrizadas. O que tenho são manchas esbranquiçadas, que irão desaparecer logo logo. Mas ainda preciso tomar o imunossupressor por um período. Aliás, o que meu deu direito à vacinação prévia não foi a doença, mas sim a medicação”, pontuou.

Kelly Key assume que sofreu por baixa autoestima

Se hoje a autoestima de Kelly Key está nas alturas, logo que descobriu a doença a cantora precisou lidar com a desinformação. “No começo, confesso que lidar com a doença foi muito chato. É muito desagradável termos uma cabeça descamando, que arde e dói, porque essa doença machuca. É muito dolorido e o olhar do outro para essas lesões não é legal. Então, a questão psicológica é um agravante. Temos vários gatilhos que podemos desenvolver”, confessou.

E explicou que se sentiu na obrigação de falar sobre a doença até para desmistificá-la: “É complicado abrir uma questão extremamente íntima e que afeta a autoestima de alguma forma. Mas desde que dividi minha condição com as pessoas, não recebi um comentário maldoso pelas redes sociais sequer. Pelo contrário. Muita gente se viu representada em mim”.

Kelly, que garantiu nunca ter colocado próteses de silicone no bumbum, avisou que pretende mostrar o antes e depois de sua pele após o fim do tratamento. “Não mostrei 100% da fase mais crítica da doença. Até tenho essas imagens, mas quero compartilhar quando estiver recuperada. É mais interessante para deixar claro que somos capazes de dar a volta por cima e controlar essa situação”, encorajou.



Fonte