Menino que era torturado pela mãe e pelo padrasto na PB passa por cirurgia plástica | Polícia

0
182

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
Foto: Reprodução

O menino de sete anos que era torturado pela mãe e pelo padrasto na cidade de Boqueirão, interior da Paraíba, realizou na manhã desta segunda-feira (22), uma cirurgia plástica no hospital de trauma de Campina Grande, onde está internado desde o último dia 10.

A cirurgia estava marcada para acontecer no final de semana mas não pôde ser feita por conta da cicatrização na região. A médica que participou da cirurgia disse que o procedimento foi um sucesso. Ela revelou que a lesão no couro cabeludo da criança  tem aproximadamente 5 cm de diâmetro e foi feito um enxerto.

O menino continua no setor de pós-operatório, está sendo acompanhada e não tem previsão de alta. A equipe médico disse ainda que apesar disso o menino se recupera bem

A mãe e o padrasto continuam aguardando a audiência de custódia ser marcada. Eles estão na carceragem da central de polícia de Campina Grande.

O Caso

Uma criança de 7 anos era torturada pela própria mãe na cidade de Boqueirão, na região do Cariri da Paraíba. O caso foi levado ao conhecimento da Polícia Civil, que está investigando o caso e tratando como “homicídio tentado”.

“A criança estava sendo agredida e violentada por parte da sua mãe. O Conselho Tutelar acionou a Polícia Militar e na residência da criança foi constatado que ela estava com diversas agressões e em estado de desnutrição”, explicou o delegado Iasley Almeida.

No dia 10 de julho de 2019, o menino foi socorrido inicialmente para o Hospital da Criança e depois transferido para o Hospital de Trauma de Campina Grande.

Além dos maus-tratos, a Polícia Civil vai apurar “a tentativa de homicídio qualificado pela tortura”. “A mãe da criança a agredia constantemente, amarrando-a pelos pés, torturando-a psicologicamente, omitindo a alimentação devida e queimando a criança com uma vela. Ela a agredia com um fio nos testículos, mostrando claramente a sua intenção deliberada de tentar um mal maior que seria sua morte”, relatou o delegado.

O boletim médico do Trauma informa que ele deu entrada às 22h50 do dia 10, foi atendido pela urgência pediátrica e cirurgião. Após a realização de exames, ficou constado como diagnósticos: anemia e desnutrição. Havia sinais de hematomas e queimaduras em várias partes do corpo.



Fonte