Motorista de aplicativo é baleado e tem carro alvejado por guardas municipais com veículo descaracterizado na Grande Fortaleza | Ceará

    0
    192

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    O motorista de um carro de aplicativo foi baleado após o veículo ser alvejado por tiros no município do Eusébio, Grande Fortaleza, na noite desta terça-feira (30). De acordo com a passageira, que estava acompanhada do filho de 7 anos, os tiros foram disparados por guardas municipais que trafegavam em uma caminhonete descaracterizada.

    Segundo a testemunha, que terá a identidade preservada, a corrida estava sendo encerrada no Bairro Precabura, quando o veículo usado pelos guardas parou atrás do carro de aplicativo e o motorista se assustou. “Ele saiu em alta velocidade achando que era assalto e os guardas seguiram a gente. Não sabíamos que era da polícia, pois não tinha sirene, nem identificação” afirma. Mãe e filho haviam saído do Bairro José Walter, em Fortaleza.

    O carro só parou depois que uma das balas acertou o pneu. “Vi quando um dos tiros atingiu o motorista, avisei a ele, que pediu para eu me abaixar e me preocupar apenas com o meu filho, que é criança’, disse.

    Conforme a mulher, eles só perceberam que se tratavam de agentes de segurança quando o motorista desceu do carro e os ocupantes da caminhonete se identificaram. “Eles socorreram o motorista e dois ficaram comigo e meu filho esperando as viaturas chegar”.

    O motorista de 55 anos, natural do Piauí, foi encaminhado para a Upa do Eusébio com um tiro no ombro. O homem foi atendido e recebeu alta na madrugada desta quarta-feira (31). A vítima veio para o Ceará acompanhada de um grupo de motoristas de aplicativos para trabalhar na alta estação e após esse período iria retornar para o estado de origem.

    Os guardas municipais envolvidos na ação foram ouvidos na Delegacia Metropolitana do Eusébio.

    Testemunha afirma que caminhonete usada por guardas municipais estava sem identificação. — Foto: Rafaela Duarte/ Sistema Verdes Mares

    Testemunha afirma que caminhonete usada por guardas municipais estava sem identificação. — Foto: Rafaela Duarte/ Sistema Verdes Mares



    Fonte