Nível do Cantareira é o mais baixo em 6 anos; sistema está operando com menos de 26% da capacidade | São Paulo

    0
    23

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    O Sistema Cantareira está operando com o nível mais baixo dos últimos seis anos. No mês de dezembro, o sistema passou a operar com 25,2% de capacidade de abastecimento, na faixa de restrição.

    Todas as represas que abastecem a região metropolitana de São Paulo atingiram a menor capacidade de abastecimento dos últimos seis anos. O sistema Guarapiranga está quase pela metade, com 56,1% do volume total de água. Em todos os sistemas somados, o volume armazenado atualmente é de apenas 38,1%.

    No mês de dezembro choveu quase 90 milímetros, menos da metade da média histórica prevista para esse mês.

    Sistema Cantareira está atuando com o volume operacional mais baixo registrado desde 2016. — Foto: Reprodução/ Tv Globo

    Em 2016, o Cantareira teve um índice confortável, já em 2015, o sistema chegou à véspera de Natal operando com volume negativo, com menos 1,8%.

    “Não só está diminuindo a quantidade de chuvas que caía no período chuvoso, ou seja, é mais incerto se vai cair a mesma quantidade de chuvas, como ela está caindo de forma mais concentrada e muito mais forte, ou seja, está chovendo em alguns dias e não chovendo durante vários dias”, afirma Marussia Whately, especialista em recursos hídricos.

    Para a especialista, é necessário criar ações de políticas públicas que devem envolver o estado, os municípios e começar a construir planos de emergência e contingência pensando não só nas represas, mas em medidas de melhor distribuição de água e ações para orientar a população de como lidar com a situação.

    Em nota, a Sabesp informou que medidas estão sendo adotadas para garantir a segurança hídrica e a preservação dos mananciais em momentos como esse. Entre essas ações estão: a integração do sistema com transferências de água rotineiras entre regiões, a ampliação da infraestrutura de gestão da pressão noturna para maior redução de perdas na rede.

    Informou ainda que é importante que a população evite desperdícios.

    Vídeos: Tudo sobre São Paulo e região metropolitana



    Fonte