O pós-operatório da cirurgia plástica precisa de cuidados especiais durante a pandemia? | SEGS

0
10

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Brasil é pelo segundo ano consecutivo o país que mais realiza cirurgias estéticas

A pandemia tem gerado mais tempo em casa para muitos brasileiros, principalmente agora com restrições maiores novamente. Apesar do momento turbulento, muita gente tem aproveitado esse tempo de isolamento para cuidar da aparência, com destaque para os casos de quem procura a cirurgias plásticas.

O Brasil, campeão pelo segundo ano seguido em cirurgias do tipo, realizando 13,1% do total mundial em 2019 segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, viu um aumento significativo na procura durante a pandemia.

A grande vantagem, que vem impulsionando essa busca, é o tempo que pode se passar em casa, já que o período de repouso é uma das partes mais importantes para o pós-operatório. “Nosso corpo consome muita energia enquanto se recupera e cicatriza, ter uma fase de pouco movimento físico é essencial tanto para a saúde como para alcançar o resultado desejado”, explica Dr. Pedro Lozano, cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Outro fator para esse aumento, que segundo Lozano tem sido pauta em seu consultório, é o quanto as pessoas passam agora se observando durante reuniões e encontros on-line, e também na hora de postar suas fotos nas redes sociais. “Muitos pacientes chegam na consulta com insatisfações que foram notadas enquanto se observavam pelas das telas, coisa que talvez não tivessem o mesmo tempo para fazer antes”, complementa.

Apesar de parecer um momento vantajoso para se dedicar à estética, existe um lado que requer maior cuidado devido a pandemia do coronavírus. O especialista explica que durante a recuperação de qualquer cirurgia, sofremos um abalo no sistema imunológico, e por isso o policiamento deve ser ainda maior.

“Nossas defesas ficam enfraquecidas naturalmente, por isso procuramos realizar apenas cirurgias de pequeno ou médio porte, para evitar longos períodos de internação” comenta o ciurgião.

“Hoje temos hospitais com fluxo Covid-Free, onde a equipe médica, de enfermagem, assim como o paciente e acompanhante, são testados antes da cirurgia, minimizando o risco de infecção,” explica. Apesar disso, além de todas recomendações que já são praxe hora de voltar para casa, o especialista também frisa muito a importância de lavar as mãos, higienizar tudo que venha de fora e sempre que possível, praticar o isolamento social.

Escutar as recomendações médicas neste momento em que passamos, é essencial, ainda mais quando falamos de uma intervenção cirurgíca. Doutor Lozano acredita que aproveitar a oportunidade de ficar em casa seja uma ótima decisão, desde que seja de forma responsável. “Seguindo os protocolos e tendo um médico especializado membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, as chances de infecção e complicações são mínimas”, finaliza.

Sobre o especialista:
Dr. Pedro Lozano – Cirurgião plástico
Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e responsável pela Clínica Vix
CRM-SP: 111.967
RQE: 44244



Fonte