Os cuidados com a dieta do pet após a castração

0
31

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

postado em 23/05/2021 08:00

(crédito: Arquivo pessoal)

A castração dos animais de estimação trazem vários benefícios, como prevenir doenças e deixar o pet mais tranquilo. Mas, antes e depois do processo, são necessários alguns cuidados para evitar que o pet ganhe peso e para que se mantenha saudável.

Como a castração é um procedimento invasivo, é preciso uma atenção especial nos 10 primeiros dias após a cirurgia. Flavio Lopes da Silva, supervisor de capacitação técnico-científica da PremieRpet, explica que a principal diferença depois de castrar é que o animal fica mais sedentário. “São retiradas as glândulas que secretam hormônios reprodutivos, responsáveis por deixá-los em alerta”, detalha.

Por conta do novo estilo de vida do pet, ou seja, mais sedentário e calmo, a alimentação dele deve ser repensada. Flavio ressalta que o excesso de energia por meio da alimentação e a falta de exercícios regulares podem deixar o pet obeso.

Para evitar que isso aconteça, a recomendação é alterar os alimentos fornecidos. Eles devem ser menos calóricos e gordurosos e com mais fibras. Além disso, faz-se necessário um controle na quantidade de petiscos oferecidos para cachorros e gatos.

Além de rações menos energéticas, existe a opção da comida natural. O médico veterinário Rafael Bonorino, da clínica Lobo Guará, explica que se trata de uma alimentação úmida, feita com arroz integral, carne, frango e verduras. “Não há necessidade de uma alimentação específica para ajudar no pós-operatório”, destaca.

Cuidados após a castração

No processo de recuperação da cirurgia, não é necessário, por exemplo, aumentar a hidratação dos pets. O veterinário diz que os pets não apresentam perdas acentuadas de água do organismo nesse período. E, principalmente, não deve ser oferecido nenhum outro líquido ao pet, somente água limpa e fresca. “Mas é importante tomar cuidado com a alimentação para evitar obesidade”, alerta.

Não há restrições para a dieta após a castração. O alimento, porém, deve ser de alta qualidade e oferecido na quantidade diária certa para que não haja excessos. Por isso, o supervisor técnico da PremieRpet aconselha o tutor a investir naqueles que tenham uma concentração de proteína adequada para ajudar na cicatrização e melhorar a função imune dos animais.

Para que a recuperação seja adequada, deve ser seguida rigorosamente a prescrição do médico veterinário. E apenas o profissional saberá informar a quantidade adequada e o alimento correto para ele.

Ganho de peso

A bibliotecária Rayana Leonel castrou Mel, uma golden retriever, no primeiro cio. Até então, a cadela tinha um peso padrão para a raça. Mas, após três meses da castração, a tutora começou a notar um ganho de peso do pet e decidiu procurar ajuda profissional. “Trocamos a ração por uma light. O peso baixou um pouco, mas ela continuou gordinha”, conta.

Em 2019, quando a golden estava com 7 anos, foi sugerido o uso de ração específica para cães obesos. Como é muito mais cara do que as outras, a bibliotecária preferiu manter a ração light e acrescentou uma rotina de exercícios físicos para a cadela.

Por isso, Rayana recomenda, por experiência própria, tomar cuidado com a alimentação dos pets antes e depois da castração. “Na pré-castração é recomendado somente o uso de rações de boa qualidade, especialmente as superpremium, que eram as que minha golden já consumia. O pós requer uma alimentação diferenciada”, relata.

Apesar das chances de o cachorro engordar, a bibliotecária não se arrepende da castração. Além de dar qualidade de vida aos pets, evita o surgimento de doenças. Agora ela está preparando o seu buldogue, Draco Malfoy, e a outra golden retriever, Amora, para castrar. “Com os dois, haverá a troca da ração, caso o veterinário julgue necessário, e a atividade física diária para reduzir o ganho de peso”, afirma.

Cuidados especiais

O médico veterinário Rafael Bonorino destaca alguns cuidados no período pós-castração. Nos primeiros 10 dias, tanto o gato quanto o cachorro devem ficar em repouso, ter um espaço somente deles e evitar se movimentar. O tutor deve ter atenção redobrada com os curativos, principalmente com as fêmeas. Além disso, é preciso usar analgésicos, antibióticos e anti-inflamatórios. Existem roupas cirúrgicas que vão proteger a região do abdômen e evitar a contaminação do local. “Em 10 dias, tire os pontos e a vida volta ao normal para o animal.”

*Estagiária sob a supervisão de Sibele Negromonte



Fonte