Paralisação no transporte coletivo urbano de Presidente Prudente chega ao sexto dia | Presidente Prudente e Região

    0
    14

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    Nesta segunda-feira (21), a greve do transporte coletivo urbano de Presidente Prudente chega ao sexto dia. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Terrestre de Presidente Prudente e Região (Sintrattepp), em horário de pico, estarão liberados 50% da frota de ônibus e 35% nos demais períodos.

    Ainda conforme o Sintrattepp, nesta segunda-feira (21) a empresa precisa pagar o adiantamento do salário, que é dado todo dia 20, e o vale-alimentação. A categoria ressaltou que muitos trabalhadores ainda não receberam o pagamento referente ao mês de maio.

    Foram esses desacordos nos pagamentos que levaram a quarta paralisação dos serviços este ano, sendo a segunda em menos de um mês.

    No início desta manhã, passageiros relataram à equipe de reportagem da TV Fronteira situações de aglomeração nas linhas que saem do Conjunto Habitacional João Domingos Netto e faz a chamada Linha da Saúde, Residencial Cremonezi e Jardim Mediterrâneo.

    O G1 solicitou um posicionamento para a empresa Prudente Urbano. Contudo, até o momento, não houve resposta.

    Greve do transporte coletivo urbano segue em Presidente Prudente — Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira

    A semana também começa sem a obrigatoriedade do transporte coletivo urbano circular com a lotação de pessoas sentadas. A medida foi definida através de um decreto publicado no início da noite de sexta-feira (18).

    A nova publicação estabelece medidas de ajuste ao decreto municipal publicado no dia 10 de junho, que estabeleceu regras para o enfrentamento da pandemia de Covid-19 na cidade. Na ocasião, para o transporte coletivo urbano foi determinado que, num prazo máximo de sete dias, os ônibus deveriam circular com lotação somente de pessoas sentadas, nos períodos das 7h às 9h e das 17h às 20h, sob pena de multa de R$ 1.196,91, o equivalente a 300 UFMs, por veículo autuado.

    A Prudente Urbano, empresa responsável pelo serviço de transporte coletivo no município, teve sete dias pra se adequar, a partir da publicação do decreto. O prazo terminou na quarta-feira (16) e, nesta quinta-feira (17), as exigências já entraram em vigor.

    O prefeito Ed Thomas (PSB) afirmou que a paralisação, apesar de parcial, “é uma vergonha que não é de hoje”.

    Greve do transporte coletivo urbano segue em Presidente Prudente — Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira

    Um dos pontos considerados pela Prefeitura para a publicação do novo decreto na noite de sexta-feira, foi a greve dos funcionários da empresa concessionária de transporte coletivo, “o que prejudicou a população, porquanto diminuiu a quantidade de ônibus em circulação, ocasionando até deixarem os passageiros nos pontos”, segundo o documento.

    “Fica suspensa, temporária e excepcionalmente, a obrigação do transporte de passageiros em veículos pertencentes à frota operacional do sistema municipal de transporte público coletivo urbano circular com a lotação somente de pessoas sentadas”, cita o decreto, que entrou em vigor na sexta-feira (18).

    Greve do transporte coletivo urbano segue em Presidente Prudente — Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira

    Greve do transporte coletivo urbano segue em Presidente Prudente — Foto: Emerson Sanchez/TV Fronteira

    VÍDEOS: Tudo sobre a região de Presidente Prudente



    Fonte