‘Por favor, fiquem em casa’, pede pneumologista e diretor da Santa Casa de Santos | Mais Saúde

    0
    88

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    O médico pneumologista Alex Macedo, diretor-técnico da Santa Casa de Santos, publicou um vídeo nas redes sociais fazendo um apelo a população em relação ao coronavírus: ‘Por favor, fiquem em casa’. Segundo ele, não há leitos hospitalares para atender a todos na região. A Baixada Santista, no litoral de São Paulo, ainda não registrou casos confirmados da doença, mas até a manhã desta quarta-feira, foram contabilizados 92 casos suspeitos.

    “A nossa preocupação é não propagar essa infecção rapidamente. Nosso sistema de saúde não tem fôlego, não tem condições de atender tanto as emergências pelo Covid como as nossas emergências do dia-a-dia. Nós não temos leitos hospitalares para isso. Por favor, fiquem em casa”, disse ele, no vídeo (Veja o vídeo completo acima)

    Médico Alex Macedo fez um apelo nas redes sociais — Foto: Reprodução

    Médico Alex Macedo fez um apelo nas redes sociais — Foto: Reprodução

    Segundo o médico, caso isso não seja feito, a população muito em breve será submetida a um isolamento compulsório, ou seja, todos serão obrigados a permanecer em suas casas de forma obrigatória.

    Macedo diz ainda que o apelo não é por conta da gravidade da doença, que mata menos que outras infecções, mas sim pelo rápido contágio. O médico também reforçou que, além do isolamento, é preciso aumentar os cuidados básicos de higiene.

    “O desespero não é a gravidade dos casos, é a velocidade de propagação dos casos. E, a única maneira de conter isso é higiene pessoal e ficar isolado em casa. Não é ir a praia, não é ir ao shopping, ao restaurante. É estar dentro da sua casa”, disse ele.

    Coronavírus: infográfico mostra principais formas de transmissão — Foto: Infografia/G1Coronavírus: infográfico mostra principais formas de transmissão — Foto: Infografia/G1

    Coronavírus: infográfico mostra principais formas de transmissão — Foto: Infografia/G1



    Fonte