Procura por cirurgias no nariz aumenta durante a pandemia

0
12

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

MANAUS – Intervenções estéticas já faziam parte da realidade de boa parte dos brasileiros, mas com a chegada da pandemia, a procura por procedimentos aumentou. Com mais pessoas em casa e com a adesão do trabalho em home office, as pessoas passaram a ser observar mais na frente do espelho e a querer “ficar bem” na frente da chamada de vídeo ou nas redes sociais.

De acordo com a otorrinolaringologista, Mônica de Sá Pinheiro, muitas pessoas passaram a ver com mais atenção aspectos do próprio corpo que gostariam de mudar e o nariz tem sido um dos principais alvos dos insatisfeitos. A médica salienta que o fato de as pessoas terem trabalhado mais em regime remoto, a recuperação passou a ocorrer de maneira mais eficaz e de forma menos incômoda.

“As intervenções cirúrgicas no nariz foram bastante procuradas em 2020, principalmente durante a pandemia onde as pessoas ficaram mais tempo em casa. As pessoas ficaram mais focadas no celular e na autoimagem. Nesse período se mantiveram on-line, fazendo selfies e estão se olhando mais como um todo. O uso de redes sociais também contribuiu. E o fato de estarem em casa contribuiu bastante para a recuperação, então muita gente não pensou duas vezes e decidiu pelo procedimento. Essa tendência também foi sentida em 2021, essa é uma disposição mundial”, destacou.

Quem procura por realizar modificações no nariz, encontra duas opções. Técnicas como a rinomodelação e a rinoplastia são as mais procuradas nos consultórios. Mônica diz que essa procura não acontece apenas por questões estéticas, mas também para melhorar a saúde.

“Uma das principais dúvidas dos pacientes que procuram um cirurgião plástico ou o otorrinolaringologista especializado nesses procedimentos é a diferença entre rinoplastia e rinomodelação. Vale destacar que a rinomodelação não é uma cirurgia, ela é um procedimento estético onde é utilizada uma substância conhecida como ácido hialurônico e é indicado quando há pequenas alterações a fazer. A pessoa já tem o nariz bonito, mas precisa de uma modelação bem discreta. Já a rinoplastia é um procedimento cirúrgico em que você tem que reestruturar todo o nariz. É muito indicado para aqueles pacientes que têm os narizes desiguais, tortos, com a ponta do nariz caída ou as abas muito abertas, além daqueles que desejam melhorar ainda mais a estética do nariz”.

A rinoplastia é uma das cinco cirurgias plásticas mais procuradas nos consultórios brasileiros. A otorrinolaringologista alerta que os procedimentos devem ser feitos por quem sabe fazer cirurgias.

“Pode ser um otorrinolaringologista com especialização em cirurgia plástica e pode ser feita pelo cirurgião plástico, ambos os profissionais estudaram para realizar esse tipo de cirurgia”.

A rinoplastia é indicada a partir dos 15 anos, quando o crescimento dos ossos e cartilagens é encerrado. Independentemente da idade, o paciente deve passar por avaliação e exames pré-operatórios antes do procedimento. As comorbidades podem ser fatores de risco, alerta a Dra. Mônica de Sá Pinheiro. Já o pós-operatório de uma rinoplastia, por exemplo, é simples, mas requer alguns cuidados. É preciso evitar comidas quentes, atividades físicas que aquecem o corpo e tomar Sol. Além disso, o paciente deve adotar cuidados de limpeza e de hidratação do nariz.

Perfil da médica

Mônica de Sá é otorrinolaringologista, pós-graduada em Rinoplastia Estruturada. Durante os últimos 2 anos, ela se dedicou à formação no Instituto Jurados em São Paulo. Ela não só entende e conhece tudo sobre a Anatomia e Fisiologia do Nariz, como é habilitada para ir além de a superficialidade em uma cirurgia plástica no nariz (rinosseptoplastia funcional e estética).

Ela traz consigo a filosofia de que não basta só ter um nariz bonito, é preciso respirar bem. A Dra. Mônica de Sá atende em sua Clínica Otorhinus, que está situada na rua Rio Madeira, número 380, conjunto Vieiralves.

(*)Com informações assessoria

Acompanhe em tempo real através das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.





Fonte