Queda de helicóptero turístico na Rússia deixa 8 desaparecidos | Mundo

    0
    32

    Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

    .

    Um helicóptero turístico com 16 pessoas a bordo caiu nesta quinta-feira (12) na península vulcânica de Kamtchatka, na Rússia, deixando oito desaparecidos, anunciou o governo local.

    A aeronave do modelo Mi-8 caiu no lago Kurile, dentro da reserva natural de Kronotsky, segundo afirmou o governador desta região russa, Vladimir Solodov, em um comunicado.

    Os funcionários da reserva natural localizada no extremo-oriente do país chegaram ao local poucos minutos após o acidente e conseguiram resgatar metade dos passageiros.

    O governador confirmou que a aeronave transportava três tripulantes e 13 turistas, incluindo um menor de idade, moradores de São Petersburgo, a segunda maior cidade do país.

    “Ouvimos o barulho do helicóptero, mas não o vimos […] Depois, ouviu-se um barulho forte. Era o helicóptero que tinha se impactado na água. Imediatamente, colocamos dois botes na água e, em três ou quatro minutos, chegamos”, disse a assessoria de imprensa da reserva em uma nota.

    Segundo a mesma fonte, oito pessoas foram resgatadas, depois de conseguirem subir à superfície da água de uma profundidade de oito ou nove metros, enquanto o dispositivo afundava. Duas estão gravemente feridas.

    “Contornamos o lago várias vezes em busca de outras pessoas, mas não encontramos ninguém”, indica o comunicado, acrescentando que é “impossível” se manter com vida por muito tempo em águas com temperaturas entre 5°C e 6ºC.

    O governador disse ainda que o helicóptero afundou a 130 metros de profundidade, impossibilitando o trabalho dos mergulhadores. Diante disso, solicitou-se ao Exército russo o envio de robôs submarinos.

    Se a busca continuar, é pouco provável que outros sobreviventes sejam encontrados.

    Um dos sobreviventes, Viktor Strelkin, disse que estava dormindo no momento do acidente, até ser acordado por um jato d’água no rosto.

    “O filho do meu amigo estava sentado do meu lado. Ele estava preso com cinto de segurança e não tive tempo de retirá-lo, porque acordei tarde demais”, contou ele, citado pelas autoridades.

    Este mergulhador amador disse ainda que conseguiu se soltar, inalar o ar antes que a cabine se enchesse de água, sair do dispositivo e nadar até a superfície.

    Outro passageiro, Nikolai Korjenevski, disse à emissora de televisão que o lago estava “envolto em espessa neblina” e que a água estava “extremamente fria”. Ele reconhece que conseguiu sobreviver apenas graças à velocidade dos socorristas.

    Segundo um comunicado de imprensa divulgado pelas autoridades regionais, quatro feridos foram levados para o hospital. Dois deles se encontram na UTI, mas estão fora de perigo.

    “Não temos informações sobre os demais” passageiros, disse à AFP Alla Golovan, porta-voz do governador.

    Foi aberta uma investigação por violação das regras de segurança, de acordo com nota do Comitê de Investigação, órgão responsável pelas principais investigações no país.

    A aeronave pertence à empresa local Vitiaz-Aero. A companhia garantiu aos jornais russos que o aparelho havia sido totalmente reparado em 2020, inspecionado antes do voo e que os pilotos tinham “experiência”.

    Segundo a rádio russa Business FM, o helicóptero já estava em atividade há quase 40 anos, e sua licença de voo iria expirar no próximo ano.

    O helicóptero levava turistas para o Khodutka, um dos vulcões que rodeiam a cidade de Petropavlovsk-Kamtchatksi.

    A península de Kamtchatka é gigantesco território, muito pouco povoado, apreciado pelos turistas por seus vulcões e pela natureza selvagem.

    Segundo o site Vitiaz-Aero, a empresa usa helicópteros do tipo Mi-8P para o transporte de grupos turísticos. De concepção soviética, este modelo de helicóptero foi fabricado entre 1960 e 1991 e pode transportar até 24 pessoas.

    A segurança aérea na Rússia aumentou a partir dos anos 2000, à medida que as principais companhias foram trocando os aparelhos soviéticos por aviões mais modernos. Falhas de manutenção e descumprimento das normas de segurança continuam, no entanto, causando problemas e tragédias.



    Fonte