Quem fez Cirurgia Plástica de Mamas pode Amamentar?

0
16

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Um assunto que causa ansiedade e muitos questionamentos às mulheres é a amamentação e sua relação com a cirurgia plástica de mamas. Muitas querem fazer o procedimento antes da gravidez ou um tempo após o parto, mas ficam em dúvida se poderão ou não amamentar.

Em geral, as cirurgias de mamas não impedem o aleitamento materno. No entanto, é importante analisar o tipo de procedimento desejado, se para aumentar os seios com implante de silicone ou para reduzi-las. De toda forma, considerando o período de lactação, a recomendação é aguardar pelo menos 6 meses após a sua interrupção para programar a cirurgia. 

Amamentação e Cirurgia Plástica para Implante de Silicones

Na maioria dos casos, não causa problema a inserção do silicone, nem impede a amamentação, isso porque não costuma alterar a estrutura da mama, apenas seu tamanho e formato. Isso, considerando se a prótese for colocada pela base da mama ou pela axila. No entanto, se ela for inserida pelas aréolas, os ductos mamários podem ser atingidos.

paciente e médico escolhendo a prótese de silicone

Por outro lado, é preciso cuidado quando o silicone for associado à mastopexia (retirada do excesso de pele dos seios) ou à mamoplastia redutora (redução dos seios) porque eles alteram, sim, a estrutura da mama. Quando maior a redução do seio ou a retirada de pele, maiores as chances de a amamentação ser prejudicada. Em geral, o procedimento para aumentar os seios não interfere significativamente na capacidade de amamentar, desde que os mamilos não tenham sido removidos e que os ductos não tenham sido cortados, o que as práticas médicas atuais têm evitado.

No entanto, muitos cirurgiões reforçam a ideia de não associar a colocação de próteses ao aleitamento materno, a fim de evitar possíveis complicações como infecção e acúmulo de sangue, seroma ou leite ao redor da prótese que podem ocorrer, geralmente, após seis meses de cirurgia. A contratura, uma complicação decorrente das próteses de silicone, é uma das únicas que não aparecem nos seis primeiros meses após a operação. Entretanto, quando acontece, é uma situação incômoda que pode dificultar a amamentação por conta da dor, sem influenciar a produção de leite.

Como é Realizada a Cirurgia para Implante de Silicone?

Normalmente, as próteses de mama são colocadas atrás ou na frente do músculo peitoral. Como a glândula mamária que produz leite fica na frente do músculo, a prótese de silicone colocada atrás do músculo não prejudica em nada o implante diretamente.

marcação nos seios para implante de silicone

Entretanto, quando o implante é colocado entre o músculo e a glândula mamária, fica em contato com o tecido que produz o leite. Mesmo assim, geralmente isso não interfere em nada na produção de leite e na amamentação. A decisão quanto ao tamanho das mamas, ao formato e à posição das aréolas somada à anatomia e ao desejo da paciente vai ser discutida com o cirurgião plástico durante a consulta.

Amamentação e Cirurgia Plástica de Redução de Mamas

A cirurgia de redução do tamanho dos seios pode apresentar maiores dificuldades para a amamentação; não, necessariamente, um impedimento ao aleitamento materno. Muitas mulheres que passaram por este procedimento conseguiram amamentar com tranquilidade. Mamoplastia redutora é o nome que se dá para este procedimento que retira todo excesso de pele e tecido mamário existente, o que inevitavelmente diminui a quantidade de ductos mamários. Como em qualquer cirurgia, a mamoplastia apresenta seus riscos.

Redução de mamas

A produção de leite, após a redução de mamas, por vezes, poderá ser insuficiente para manter a amamentação exclusiva. No entanto, estudos realizados comprovam que 72% das mulheres relataram a falta de apoio e incentivo como motivo predominante para não amamentar; 55% das mulheres relataram leite insuficiente e 16% delas referiram relutância e falta de apoio para o insucesso na amamentação. Portanto, nem sempre é o procedimento realizado que impede o aleitamento após a mamoplastia redutora; o aspecto psicológico e emocional da mulher poderá, também, interferir nisso.

Se o cirurgião plástico realizar o procedimento com o cuidado em preservar as terminações nervosas, os ductos lactíferos e os vasos sanguíneos, o aleitamento será mais bem sucedido. É importante conversar com o médico sobre a técnica de cirurgia que será realizada e quais suas implicações na amamentação. Para isso, procure um cirurgião plástico que seja membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).



Fonte