SLIDES 2 RECURSOS TERAPEUTICOS MANUAIS

0
35

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
Profa. Me. Stella Avancini
UNIDADE II
Recursos Terapêuticos Manuais
 O sistema linfático é uma via circulatória que complementa o sistema circulatório sanguíneo,
sendo uma via acessória pela qual o líquido pode fluir dos espaços intersticiais para o
sangue, sendo considerado um processo de drenagem.
 O interstício está localizado sob a pele, recobre alguns órgãos e encontra-se ao redor de
artérias, veias e fáscias, banhando as células.
 Ele é um intermediário passivo entre o sangue e as células.
 Esse espaço, conhecido como espaço intersticial, é constituído pelo líquido intersticial com
função de amortecedor pela característica de distensão e compreensão e pelo fluxo de
fluidos.
Fonte: MARTINI, F, H. Anatomia e fisiologia humana: uma abordagem visual. 7. ed. São Paulo: Pearson, 2014. p. 468.
Sistema Linfático 
Microcirculação: troca de líquidos no capilar para o interstício
Fonte: HALL, J. E. Guyton & Hall: tratado de fisiologia médica. 10. ed. São Paulo: 
Guanabara Koogan, 2002. p. 155.
 Funções
 Controle da homeostase macromolecular, através do retorno do líquido intersticial,
principalmente de macromoléculas como lipídeos e proteínas para o sangue.
 Respostas imunes específicas, como destruição de micro-organismos e produção de
anticorpos.
Sistema Linfático 
 Linfa: líquido que percorre dentro dos capilares linfáticos, de coloração clara, é composta
principalmente por água, apresentando também proteínas, eletrólitos, ácidos graxos,
linfócitos e microrganismos. Percorre todo o sistema linfático, passando por capilares
linfáticos, troncos e ductos.
 Vasos linfáticos: São vasos por onde a linfa vai fluir, sendo denominados também capilares
linfáticos, divididos conforme o decorrer do trajeto linfático (linfáticos iniciais, pré-coletores e
coletores)
 Ductos: composto por dois ductos denominados ducto torácico e ducto linfático direito.
Componentes do sistema linfático
 Linfáticos iniciais 
 Iniciam a formação da linfa. 
 São compostos por um cilindro de células endoteliais, distribuídos em uma rede de capilar 
com fundo cego no interstício, formato de fundo de saco (dedo de luva).
 Presente na pele e nas mucosas, sendo um capilar de alta permeabilidade, com presença de 
filamentos de ancoragens. 
 Não possuem válvulas e desembocam nos pré-coletores.
Fonte: HALL, J. E. Guyton & Hall: tratado de fisiologia médica. 10. ed. São Paulo: 
Guanabara Koogan, 2002. p. 161.
Vasos linfáticos 
 Pré-coletores
 Recebem a linfa coletada pelos capilares e os direciona para os coletores.
 Constituídos por simples camada de células endoteliais, progressivamente maiores,
envolvidos internamente por tecidos conjuntivos elásticos e musculares.
 Possuem segmentos valvulados que possibilitam a distensão e contratilidade do vaso que
impedem o refluxo da linfa.
 Permitem conexões e desembocam nos coletores.
Vasos linfáticos 
 Coletores
 São vasos de maior calibre.
 Possuem três camadas: a túnica íntima, que contém fibras elásticas; a túnica média, que
compõe maior parte do coletor, formada por musculatura lisa; e a túnica adventícia, sendo a
mais externa, contendo fibras elásticas e musculares.
 Troncos linfáticos: redirecionam a linfa para canais mais calibrosos chamados de ductos que
vão levar a linfa para a circulação venosa.
 As válvulas denominadas linfangions apresentam contratilidade autônoma, inervada pelo
sistema nervoso autônomo simpático, com função de impedir o refluxo e a propulsão da linfa.
Vasos linfáticos 
 Contração da musculatura lisa do vaso.
 Estiramento reflexo dos vasos.
 Bombeamento da artéria.
 Bombeamento dos músculos.
 Inspirações e expirações diafragmáticas.
 Peristaltismo intestinal.
 Manobras externas específicas, como as de drenagem linfática manual.
Fonte: GUIRRO, E.; GUIRRO, R. Fisioterapia dermato-funcional: fundamentos, recursos e patologias. 
3. ed. Barueri: Manole, 2004. p. 27.
Propulsão da linfa
 Ducto torácico é um ducto que recebe a maior quantidade de linfa do corpo, localizado no
inferior do abdome e é conhecido como cisterna do quilo, é responsável por receber a linfa
dos membros inferiores, abdome inferior, hemitronco esquerdo, membro superior esquerdo e
região esquerda do pescoço e cabeça.
 Ducto linfático direito localizado próximo ao músculo escaleno, na base do pescoço, e
termina na junção da veia subclávia direita, com a veia jugular direita, conduz a linfa do
hemitronco direito, membro superior direito e lado direito do pescoço e da cabeça.
Fonte: GUIRRO, E.; GUIRRO, R. Fisioterapia dermato-funcional: fundamentos, recursos e patologias. 3. ed. Barueri: Manole, 2004. p. 29.
Ductos
 Fazem parte do sistema linfático.
 Encontram distribuídos no organismo.
 Função: respostas imunes específicas.
 Timo.
 Tonsilas.
 Baço.
 Medula óssea.
 Linfonodos.
Órgãos linfoides
 Órgãos linfoides encontrados em várias regiões corporais, localizados à frente das
articulações, geralmente agrupados, sendo denominados também gânglios linfáticos e/ou
nódulos linfáticos.
 Função: filtragem de impurezas da linfa e produção de linfócitos e células de defesa, assim
como a detecção de células tumorais e a tentativa de frear um possível processo de
metástase.
Fonte: GUIRRO, E.; GUIRRO, R. Fisioterapia dermato-funcional: fundamentos, recursos e patologias.
3. ed. Barueri: Manole, 2004. p. 26.
Linfonodos
Linfonodos faciais e corporais 
No corpo humano existem diversos locais onde há produção de células linfoides maduras que
vão agir no combate a agressores externos. Alguns órgãos linfoides se encontram interpostos
entre vasos sanguíneos, outros estão entre vasos linfáticos, e vão filtrar a linfa e combater
antígenos que chegam até eles por essa via. Considerando os órgãos linfoides estudados,
assinale a alternativa que compõe esses órgãos.
a) Amígdalas, baço, timo, linfonodos e medula óssea.
b) Baço, linfonodos, fígado, pâncreas e timo.
c) Linfonodos, amígdalas, fígado, baço e medula óssea.
d) Timo, baço, linfonodos, pâncreas e medula óssea.
e) Amígdalas, linfonodos e medula óssea.
Interatividade 
No corpo humano existem diversos locais onde há produção de células linfoides maduras que
vão agir no combate a agressores externos. Alguns órgãos linfoides se encontram interpostos
entre vasos sanguíneos, outros estão entre vasos linfáticos, e vão filtrar a linfa e combater
antígenos que chegam até eles por essa via. Considerando os órgãos linfoides estudados,
assinale a alternativa que compõe esses órgãos.
a) Amígdalas, baço, timo, linfonodos e medula óssea.
b) Baço, linfonodos, fígado, pâncreas e timo.
c) Linfonodos, amígdalas, fígado, baço e medula óssea.
d) Timo, baço, linfonodos, pâncreas e medula óssea.
e) Amígdalas, linfonodos e medula óssea.
Resposta
 A drenagem linfática manual é um recurso terapêutico no tratamento físico do edema, sendo
um procedimento terapêutico efetuado pelas mãos de um profissional sobre a superfície
cutânea do paciente de maneira a favorecer a circulação linfática.
Fonte: autoria própria
Drenagem linfática manual 
 Em 1930, o dinamarquês Emil Vodder e sua esposa Estrid Vodder recebiam muitos
indivíduos com alterações respiratórias crônicas, como rinite, sinusite, entre outras, e
começaram a observar que um dos sinais clínicos era o aumento dos linfonodos de pescoço.
 Decidiram como abordagem terapêutica massagear suavemente esses gânglios linfáticos
aumentados e começaram a ter resultados satisfatórios na redução do volume ganglionar e
também na própria afecção respiratória.
 Em 1936 surgiu a técnica de drenagem linfática manual, apresentada em um congresso em
Paris, porém, sem muita aceitação.
 A drenagem linfática manual foi mais deliberada e aceita apenas em 1958, quando eles
foram convidados para apresentar trabalhos e seus resultados positivos em um congresso
de medicina e puderam mostrar os benefícios dessa técnica.
História da drenagem linfática
 Pesquisadores



Fonte