Vascularização Linfática da Face – Anatomia de Cabeça e Pescoço

0
16

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
Vascularização Linfática da 
Face 
Por: Natália Cruz Soares 
Introdução: 
É um sistema coadjuvante ao sistema venoso que absorve e drena o excesso de líquido tecidual, 
ou seja, a linfa. Formado por: plexos linfáticos, uma enorme rede de vasos linfáticos, linfonodos e 
o tecido linfoide, esse tecido ainda auxilia na remoção de resíduos provenientes do metabolismo 
celular e de infecções, sendo uma importante defesa do corpo. Os plexos linfáticos são os 
capilares que estão localizados nos espaços intercelulares. Eles vão possibilitar a entrada no 
sistema linfático da linfa, de moléculas grandes, bactérias, resíduos celulares e de linfócitos. E isso 
só é possível devido ao seu endotélio extremamente fino. Os vasos linfáticos são uniões dos 
capilares linfáticos, que possuem válvulas que impedem o retorno da linfa. Eles seguem o trajeto 
das veias, sendo divididos em tipos que serão explicados mais à frente. Os linfonodos, 
importante componente do sistema linfático, são pequenos órgãos ovoides que têm função de 
filtrar a linfa e estão espalhados por todo o sistema de vasos linfáticos. O tecido linfoide é 
formado pelos órgãos: timo, baço, linfonodos, e a medula óssea vermelha que tem função de 
produzir células do sistema imune, os linfócitos, que fazem parte do sistema linfático. 
Divisão da drenagem linfática da cabeça e do 
pescoço 
Podemos dividir o sistema linfático de cabeça e pescoço em: drenagem linfática superficial e 
drenagem linfática profunda. Sendo elas identificadas pelos grupos de linfonodos existentes e 
nomeados. 
A Drenagem superficial vai ser constituída por um grupo de linfonodos que drenam a linfa da 
cabeça, eles são chamados de colar linfático pericervical. São eles: 
- Linfonodos submentuais: Estes linfonodos restringem-se a região mentual, ao longo da margem 
inferior da mandíbula. Recebem a linfa da parte medial do lábio inferior, do mento, dos dentes 
anteriores inferiores e da região anterior do assoalho da boca. A linfa desses lugares após passar 
pelos linfonodos submentuais vão seguir para os linfonodos submandibulares. 
- Linfonodos submandibulares: Estes recebem a linfa vinda da bochecha, seios paranasais, lábio 
superior, nariz, glândulas submandibulares e linguais, maxila, assoalho da boca, dentes 
superiores, gengiva superior e inferior e da região posterior da mandíbula. Estão localizados na 
marfem inferior do corpo da mandíbula, bem perto dos linfonodos mentuais. 
- Linfonodos pré-auriculares: são também chamados de parotídeos superficiais por se localizarem 
ao redor da glândula parótida e também drenar a linfa vinda dela. Além da glândula parótida os 
linfonodos pré-auriculares recebem a linfa da parte lateral da face, pálpebras, região temporal, 
parte posterior da bochecha e também da orelha externa. 
2 
- Linfonodos pós-auriculares: Podem ser chamados de retroauriculares ou mastóideos. A linfa da 
região posterior ao pavilhão da orelha e parte do couro cabeludo adjacente é drenada para estes 
linfonodos. 
A linfa dos linfonodos submandibulares, pré- e pós- auriculares vai seguir em direção aos linfonodos 
cervicais superiores – estes fazem parte da drenagem profunda -. 
- Linfonodos occipitais: Por se localizarem na região occipital drenam o couro cabeludo dessa 
região. E sua linfa segue para os linfonodos jugulares superiores também chamados de 
linfonodos do trígono posterior do pescoço. 
A Drenagem profunda é feita pelos linfonodos cervicais (jugulares) profundos, eles drenam a 
linfa da cabeça e do pescoço, considerando que a maioria dos linfonodos superficiais drenam a 
linfa para os cervicais profundos. Eles são divididos em linfonodos cervicais profundos superiores, 
médios e inferiores. Uma vez que estão localizados ao longo da veio jugular interna. 
- Linfonodos cervicais profundos superiores: Além drenarem a linfa da cavidade oral, orofaringe, 
nasofaringe e região supraglótica da laringe, eles também recebem a linfa dos linfonodos 
superficiais. Um linfonodo característico desse grupo é o linfonodo jugulodigástrico que recebe a 
linfa do terço posterior da língua, da tonsila palatina e da orofaringe. 
- Linfonodos cervicais profundos médios: Esses linfonodos drenam a linda da tireoide, laringe e 
parte cervical do esôfago. Encontram-se no terço médio do músculo esternocleidomastóideo. 
- Linfonodos cervicais profundos inferiores: Estão ao nível do terço inferior do músculo 
esternocleidomastóideo. Desse grupo destaca-se o linfonodo júgulo-omo-hióideo localizado no 
pronto em que o músculo omo-hióide cruza o feixe vasculonervoso do pescoço. 
- Linfonodos do trígono posterior do pescoço: Recebem a linda advindas dos linfonodos 
occipitais, portanto recebem da região occipital, dos músculos do dorso do pescoço, da glândula 
tireóide, do esôfago, da nasofaringe, dos pulmões e das mamas. 
Ductos para retorno da linfa à circulação 
Um tronco jugular, que acompanha a veia jugular interna de cada lado do pescoço, é formado a 
partir dos linfonodos cervicais profundos, esse tronco irá receber toda a linfa vinda da cabeça e 
pescoço. Irão desembocar inferiormente em um ducto coletor localizado próximo à junção da 
veia jugular interna com a veia subclávia. Como cada lado irá haver um tronco jugular eles 
também terão seus respectivos ductos. O ducto torácico recebe a linfa do tronco jugular 
esquerdo, sendo essa linfa originada do lado esquerdo da cabeça e do pescoço. O ducto linfático 
direito recebe a linfa pelo tronco jugular direito, sendo esta vinda do lado direito da cabeça e do 
pescoço. Os dois ductos irão desembocar próximos às veias jugular interna e subclávia esquerda 
e direita (correspondente ao lado do ducto). 
3 
Referências: 
MADEIRA, M. C.; Anatomia da Face. 7 ed. São Paulo: Editora Savier, 2010; 
TEIXEIRA, L. M. S.; REHER, P.;REHER, V. G. S. Anatomia Aplicada à Odontologia. 3 ed. Guanabara 
Koogan, Rio de Janeiro, 2020; 
MOORE, Keith L.; DALLEY, Arthur F.. Anatomia orientada para a clínica. 6 ed. Rio De Janeiro: 
Editora Guanabara Koogan S.A., 2011.



Fonte